quarta-feira, 13 de maio de 2009

Vudu? Não, é só acupuntura...


Oi amigos, blz?
Convivo com a saúde (ou a falta dela) desde sempre, afinal, meus pais são fisioterapeutas e acupunturistas. Cresci brincando de enfiar agulhas de acupuntura no braço para ver se doía, hehehe. Agora dói (bem pouquinho), mas funciona.
Como me pediram, vamos falar um pouco sobre acupuntura hoje.
A acupuntura faz parte da medicina tradicional chinesa e é utilizada pela medicina ocidental como tratamento complementar. Ela é baseada no Yin e Yang, os opostos que movimentam o universo (quem disse isso é a wikipedia).
Bom, para falar melhor sobre um tratamento de acupuntura, conversei com a minha "mami", a Dra. Sônia Nunes Rocha, que me explicou que para a medicina tradicional chinesa a saúde encontra-se no equilíbrio. Tudo o que fazemos, comemos ou deixamos de fazer afeta no equilíbrio de nosso corpo. Esse desequilíbrio pode causar desconfortos e/ou doenças. Para isso, a acupuntura é utilizada: para reequilibrar os elementos do corpo humano.
Na sessão de acupuntura, pontos específicos são estimulados, principalmente com agulhas beeeeem fininhas, conforme a necessidade do paciente.
Mas como é uma consulta com um acupunturista?
Bom, primeiro você tem que procurar um acupunturista de verdade, porque enfiador de agulha tem aos montes por aí. Esse acupunturista tem que ser um profissional formado (com graduação) na área de saúde. Chegando na consulta, o acupunturista fará uma entrevista com você, para saber quais são as suas necessidades, onde se encontra o seu desequilíbrio, porque você se sente assim, como você se alimenta, como você dorme, que remédios você toma, enfim, quais são seus hábitos diários (é sério, ela pergunta até a cor do xixi e a consistência do cocô).
A partir daí, o acupunturista vai definir os pontos a serem estimulados. Na minha "consulta", foi decidido que os pontos de reequilíbrio geral, reequilíbrio psicológico e de imunidade seriam utilizados em todas as sessões (uma vez por semana). Nesta semana também foi decidido que estimular pontos relacionados ao alívio de dores musculares e constipação intestinal (esse último funciona em menos de 15 minutos, daí é só correr pro banheiro mais próximo).
Claro, existem outros diversos aspectos do diagnóstico que não cabe ser explicado aqui.
Mas continuando, a entrevista com o paciente deve ser realizada todas as semanas, porque se nesta semana eu estou com dor de cabeça, semana que vem posso não estar, e assim vai. Por isso, o tratamento pode ser diferente a cada sessão. Deve ser medida a pressão do paciente antes e depois da sessão de acupuntura, e não pode-se fazer acupuntura com pressão acima de 14/9. Se sua pressão estiver alta, primeiro se faz pontos para baixar a pressão e depois o tratamento em si. As agulhas utilizadas devem ser abertas na frente do paciente. Elas podem ser reutilizadas (se forem usadas só por você) até mais 2 vezes. O acupunturista irá avaliar a ponta da agulha para saber se usará novas ou as mesmas. Mas lembrem-se, as agulhas não podem ser emprestadas, ou são as suas ou são novas (descartáveis) a cada sessão. O acupunturista deve ficar com o paciente durante a sessão para auxiliá-lo e acompanhar suas reações ao tratamento.
Uma observação importante: a não ser que o acupunturista seja médico de formação, ele não pode receitar remédios alopáticos (esses que a gente compra na farmácia), só fitoterápicos e somente se tiver o curso de fitoterapia.
Acho que é mais ou menos isso. Ah, e tem a auriculoterapia. Nessa aí, são estimulados os pontos da orelha. Na orelha existem pontos que correspondem a todo o corpo. São colocadas bolinhas (sementinhas) que ficam grudadinhos (com micropore) na orelha até a próxima sessão com agulhas. Mas pode-se fazer apenas auriculoterapia, sem as agulhas (ebaaaa).
Agora sim, era isso. Para mim a acupuntura funciona.
Agora, se você quiser se reequilibrar fisica e psicologicamente, procure um acupunturista na sua cidade, faça um consulta e vire um boneco de vudu cheio de alfinetinhos para se sentir melhor.

Até amanhã!
Bjs

5 comentários:

  1. octávio silveira13 de maio de 2009 20:27

    Tri bom!!!
    Vamos a elas então!! Devo iniciar na próxima semana, assim espero.
    Valeu as dicas; bom mesmo..
    grande abrço.. e boas agulhadas pra ti tb..

    ResponderExcluir
  2. Bruna.. minha acupunturista, que tb é neurologista, não usa pontos de imunidade.. e fez restrições a alguns aspectos da yoga que mexem com a imunidade.. curioso que vejo opiniões divergentes sobre o tema: imunidade...
    acredito no equilibrio.. e acho que se bem dosado, tanto a acupuntura como a yoga, apenas restauram o equilibrio.. aumentam ou diminuem na medida certa do equilibrio de cada coisa... a menos que se dê uma enfase a um determinado aspecto (como por exemplo a imunidade..)

    bjs..
    Gláucia (ou menina do vento, rsrs)

    ResponderExcluir
  3. Bruna, adorei sua experiencia. Que inveja!! acupuntura em casa. por isso voce é superequilibrada (bricadeirinha) Sabe que voce é a única pessoa com EM que conheco (virtualmente)?

    ResponderExcluir
  4. Boa sorte com as agulhas Octávio!
    Pois é Gláucia, cada loco com sua loucura né...hehe Eu tenho tomado lecitina de soja também para aumentar a imunidade. Já que nosso problema é imunidade, temos que ajudar a funcionar melhor, não acha?
    Luis, encontrarás mais esclerosados no orkut... esse povo adora orkut...hehehe
    Bjs a todos!

    ResponderExcluir
  5. Gostei desse tema Bruna. Acho super interessante, mas nunca fiz. Vou até conversar com meu neuro sobre o assunto e pedir que ele me indique um profissional de confiança. Como vc ressaltou, isso é de extrema importância.
    Só uma curiosidade. Dói? Se bem que pra gente, que tem que tomar agulhadas toda semana (eu tomo rebif, então são 3 por semana), nem faz tanta diferença, não é mesmo? kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Ah Luís, a Bruna te deu uma dica super legal, nós esclerosados, adoramos um orkut, kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Bjos!

    ResponderExcluir

Ajude a construir esse blog, deixe aqui seu comentário, dúvida, críticas e elogios.