quinta-feira, 19 de junho de 2014

Deficiência não é sinônimo de cadeira de rodas dona FIFA

Oi gentes, tudo bem com vocês?
Comigo tudo certo. Apesar do Brasil não ter ganhado do México.
Sim, eu tenho visto os jogos da Copa. Sim, eu torço pelo Brasil.
E é justamente sobre um fato da Copa que eu quero falar hoje.
Os estádios padrão Fifa da Copa tem (ou deveriam ter) áreas para pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida. Isso segundo o decreto DECRETO Nº 5.296 DE 2 DE DEZEMBRO DE 2004. Que dispõe sobre o atendimento prioritário para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida no Brasil. 
Pois bem, eu não sei como tem funcionado o acesso à pessoas com deficiência aos estádios. Mas hoje uma amiga compartilhou comigo uma notícia, dizendo que as pessoas estão concordando com a Fifa. Dando uma olhada na timeline do meu facebook, vi que várias pessoas, pessoas que, inclusive, trabalham com a questão da deficiência, concordando com a Fifa quando ela diz que "pessoas que estão de pé na área reservada para pessoas com deficiência serão retiradas" (http://globoesporte.globo.com/futebol/copa-do-mundo/noticia/2014/06/diretor-da-fifa-diz-que-cadeirantes-em-pe-serao-retirados-isso-e-trapaca.html).
Isso é uma ideia tacanha, de gente que acha que deficiência e atendimento prioritário é só pra quem é cadeirante para ou tetraplégico. Fato é que muitas pessoas têm deficiências e andam, ora bolas. Andam com bengalas, com ajuda de uma outra pessoa, sei lá, mas podem andar. Isso não quer dizer que não tenham o direito do atendimento prioritário.
Eu sempre vou nas áreas de atendimento prioritário porque a esclerose múltipla me fez ter mobilidade reduzida. Isso quer dizer que eu ando muito devagar e uma distância muito pequena. Então, para que eu possa participar de algum evento social, preciso chegar o mais perto possível da entrada e estar num lugar de fácil evacuação, porque se acontecer alguma coisa que todo mundo tenha que sair rapidamente, eu certamente seria a pessoa a sentar e rezar, porque sair correndo não é opção pra quem caminha como eu.
Porém, quem me vê no dia a dia, jamais diria que eu preciso disso.
Algumas pessoas me falaram que tem gente que compra cadeira de rodas pra enganar as autoridades. Acho difícil, porque eles pedem, quase sempre, uma comprovação médica, ou seja, eu ando por aí sempre com uma carteirinha dizendo que eu tenho esclerose múltipla e uma receita médica com o CID da doença.
Se tem alguém que age de má fé, não sei. Mas sei que julgar sem conhecer também é agir de má fé. É ser injusto e desonesto.
Eu sofro esse preconceito idiota todos os dias nas filas de banca, no ônibus, nas lojas, nos estacionamentos, nos shows de rock. E me senti extremamente chateada com as pessoas compartilhando o comentário lamentável do presidente da Fifa, falando que as pessoas estarem lá de pé é "milagre causado pela atmosfera do estádio". Pior ainda é ele dizer que os critérios são os mesmos do governo brasileiro. Definitivamente, não são!
Eu uso cadeira de rodas no aeroporto, porque as distâncias pra andar são muito longas. Principalmente se eu estou sozinha. E nunca, ninguém no avião me perguntou se foi a atmosfera da viagem que operou o milagre de eu andar pra entrar na aeronave.
Mas o pior de tudo é o bando de gente compartilhando isso sem pensar nas consequências de julgar quem tá usando esse serviço.
Eu não conheço as pessoas que estão na foto. Não fui lá falar com eles. Não sei o que os levou a estarem lá.
Passou da hora de começarmos a respeitar as deficiências que não aparecem. Que não são visíveis. Mas que são extremamente reais e dolorosas.
#vergonhadevoces #shameonyou
Vou continuar torcendo pelo Brasil. Não só pela seleção ganhar a Copa. Mas pelo povo brasileiro aprender duma vez por todas que deficiência não é uma cadeira de rodas.
Por favor, leiam a lei de acessibilidade antes de compartilhar qualquer coisa sobre ela!!!!
Até mais!
Bjs

109 comentários:

  1. Oiii Bru...

    Vc disse tudo hj em dia to assim sem poder andar mto novas lesoes novos surtos perna esquerda travada ta tao dificil pra mim esses dias fui no banco pegar fila preferencial os idosos ficara brabo axo q eu tava mentindo...to cansada disso...como vc fez a carterinha? Tem direito a q?

    Bjuu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pâmela,não sei onde vc mora, eu em SP.,consegui minha carteirinha na SPtrans EMTU e também tenho a da ABEM

      Excluir
    2. Deixa eles e seu mau humor classicos! Kkkkk tira a carteirinha da ABEM, abem.org.br, e se vc é aqui de sp a da SPTrans, e da-lhe carteirada!

      Excluir
    3. Gente que absurdo, realmente não imaginava que vcs passavam por isso, desculpe a minha ignorância na falta de informação, e peço desculpas por quem lhes tratam assim. Recebam o meu carinho, o meu respeito pela força guerreira de vcs!!!
      Bj no coração e Namastê!!

      Excluir
    4. Concordo com o Texto, agora acho se no Brasil a MAIORIA dos brasileiros pudessem respeitar esses direitos. Eles a maioria fazem com q os outros sejam penalizados, fingem tudo, fingem serem deficientes, falsificam tudo, aquele jeitinho brasileiro terrível de levar vantagem em tudo, e depois reclamam quando perdem o direito da prioridade, pq infelizmente por causa de uma MAIORIA os outros pagam... e ainda tem coragem de dizer em rede Internacional q são assim, pq o Governo é assim, ou pq não tem educação, pq não tiveram Escola de qualidade, teve bandido roubando e dizendo q roubava pq os... roubavam, e quem achar isso correto, estará de acordo com uma desordem q não tem fim, culpar a FIFA, aos funcionários etc... é fácil, difícil é reconhecer, q essa MAIORIA age errado e que isso definitivamente tem q acabar, e outra tem tanta prioridade p deficientes no Brasil, q a maioria tenta ser deficiente a fim, de usar o direito de quem realmente precisa, nas Arenas, tem lugares reservados p eles, mas foi impressionante o número de Ingressos vendidos p os deficientes, será q eram todos??? Isso ninguém investigou, isso n, mas querer mais direitos a fim, de muitos q n são deficientes usarem ah, isso sim acontece e muito, e muitos n podem fazer nada, p n sofrer represálias...triste realidade...:(

      Excluir
  2. PERFEITO!!! Nada a acrescentar, só a compartilhar para que o máximo de pessoas possa ter acesso ao teu texto!!!
    P.S: Quero outro café (mesmo eu não tomando café)

    ResponderExcluir
  3. Também queria saber sobre a tal carteirinha Bruna.... cansada de ter que encarar as caras feias....

    ResponderExcluir
  4. Concordo, não é só porque a pessoa é deficiente que ela não consegue andar, tem gente que não tem um perna ou um braço, deficiência mental, visual, auditiva e todas elas tem o direito de ter um lugar especial para ela.
    Eu vi varias fotos do pessoal mostrando esse "milagre" das pessoas levantando, acho que se a pessoa realmente tinha o direito de estar deve caber algum processo por difamação. (será?)
    Acho que o maior problema é que teve cambistas vendendo o pacote completo (laudo, cadeira e ingresso especial) e o pessoa já soma um com o outro e sai por ai falando asneira.A fifa tem que fazer um controle mais rigoroso sim, já que é o maior absurdo é uma pessoa que realmente tenha direito de estar nesses lugares perder a oportunidade para alguém que não precise,mas que tem que fazer esse controle é a fifa e não as pessoas no facebook.
    Aguardando as cenas dos próximos capítulos.

    Mah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teríamos menos dúvidas se as pessoas da foto que circulou nacionalmente (impossível não terem se reconhecido ou não terem sido alertados por pessoas próximas que os identificaram, pois o ângulo da foto, os trejeitos e a localização permitem) se indignassem pela difamação ou, no mínimo, injúria que estão sofrendo. Não se engajando (embora tenham todo o direito de ficarem anônimos), fomentam a polêmica e perdem a enorme oportunidade de se servir da grande mídia esclarecendo e exigindo em prol de todos que divulgam e comentam aqui e de muitos mais.
      Paulo

      Excluir
    2. Adorei seus comentários!!!!Pois também tenho uma deficiência.Sou portadora de passe especial devido a deficiência auditiva bi lateral.Ando ,tenho problemas com artrose,artrite mas ando.Quando apresento meu passe nos guichês das empresas de ônibus,percebo a mudança na fisionomia dos atendentes,Eles mudam mesmo!!!Parece que eles são os donos das empresas e que a passagem está saindo de graça e eu dando prejuízo parar as empresas,quando na verdade não sai de graça pra ninguém!!!!Nas filas dos bancos,teatros,cinemas as pessoas me olham desse jeito também!!As poltronas da frente nos ônibus são destinadas a pessoas idosas,obesas,com crianças de colo e DEFICIENTES!!!Mas muitas vezes,não me cedem tais lugares por estarem já vendidas!!!quando você vai ver,são pessoas magras,novas e sózinhas!.Não gosto de ir atrás pois como não ouço(uso aparelho nos 2 ouvidos),não identifico caso haja algum problema durante a viagem e o motorista falar,comunicar alguma coisa,como já aconteceu...vi todo mundo se levantando depressa e eu perguntando o que estava acontecendo e não me respondiam!!!!Até que um senhor me disse que teríamos de descer todos,pois,uma ponte estava desabando e o ônibus teria que passar vazio.Isso me traumatizou!Vi que sou mesmo deficiente mas ninguém via minha cadeira ,então ...sou considerada normal!!!!Se eu estivesse sentada nos assentos preferencias,eu teria lido os lábios do motorista e caso não tivesse entendido perguntaria mais uma vez e explicaria minha condição.Não teria passado pelo sufoco que passei!!!

      Excluir
  5. moça pode ter problemas nos membros O que pode conferir dores nas pernas ao andar longas distancias. Logo nada melhor que usar uma cadeira para chegar aos lugares. Eu mesma, estou numa situação similar... a fadiga, velocidade e dor que a marcha me provoca uso a cadeira para fazer muitas coisas longe, mas qdo chego no destino levanto e ando pouco. Tem gente usanndo a foto pra fazer a piadinha "ta vendo, quem precisa de hospital. O estadio cura" e difamando a pessoas da foto.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. http://www.guiainclusivo.com.br/wp-content/uploads/2014/05/image42.jpg

    ResponderExcluir
  8. Oi Bruna, faz tempo que não passo por aqui. Fiquei feliz ao ver que as coisas parecem estar caminhando bem. O assunto que você levantou já foi objeto de discussão no Facebook, com a maioria das pessoas criticando, ironizando ou mesmo xingando abertamente. Levantei, junto com a Suely Satow, de SP (conhece?) a possibilidade de se tratar de alguém que usa cadeira de rodas mas consegue ficar em pé ou mesmo caminhar por pequenas distâncias, num contraponto àquela ideia tacanha de que cadeira de rodas é sinônimo de paralisia ampla, geral e irrestrita. A Fifa sozinha já é mais do que suficiente para encher o horizonte de bobagens, não precisamos dos 'especialistas' das redes sociais. Beijão.

    ResponderExcluir
  9. A propósito, quando tiver um tempinho, visite meu blog: www.blogdonegao.com.br

    ResponderExcluir
  10. Concordo com tudo que foi dito por você mas, infelizmente tiveram caso de pessoas que não tem nenhum tipo de deficiência mas uma situação financeira e uma imoralidade privilegiadas que pagaram cerca de R4.000,00 (com direito a cadeira de rodas). com certeza estas pessoas passaram o tempo todo sentadas

    ResponderExcluir
  11. Concordo ctg, pois tenho um caso semelhante na família, mas acho que a FIFA também disponibilizou ingressos para pessoas com mobilidade reduzida, não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, tinha dois tipos de ingresso. Mas uma pessoa em cadeira de rodas não quer dizer que, necessariamente, não consiga ficar de pé, não é?

      Excluir
  12. O texto é esclarecedor e a sua descrição no blog é um tanto espirituosa! :)
    Você é ótima!

    ResponderExcluir
  13. Sei muito bem como é isso. Meu filho é autista e sofre com preconceitos por ser bonito e não ter aparentemente nenhuma deficiência física. Porém seu raciocínio e comportamentos são muito diferentes e as pessoas acham que ele é pirracento ou não tem educaçã. Nos ônibus e filas quando peço preferência. Por que ele não se sente bem em filas. Sofro com os olhares duvidosos e burburinhos de pessoas questionando umas com as outras. Será que é especial? Acho que a mãe está tirando vantagens. Mais não tem noção do que eu passei e ainda passo com o meu filho a cada crise dele. Tenho o cid dele e todos os passes especiais necessário. E simplesmente ignoro as pessoas que dividam de nossa situação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Clarissa, tb tenho um filho especial (Sindrome de Dowm). Tenho a carteira dele para onibus , metro e trem, com acompanhante, pois ele não anda sozinho, nem de onibus , nem a pé, e tem dificuldade de ficar em pé no onibus qdo este esta se locomovendo. Antes era um sufoco ter que entrar em um onibus e passar a roleta com êle. Até que um motorista ( de onibus ) me alertou, que eu tinha direito a ficar com êle na frente , sem ter que passar a roleta. Agora, pode estar a fila mais comprida, que eu fico na frente com êle, e qdo o motorista autoriza a entrada, eu peço a ele pra entrar e sentar no 1º banco. É assim que devemos fazer. Alias, eu tb agora sou idosa (mais de 60 ), mas qdo vejo alguem que precisa mais que eu, cedo o lugar. Temos que exercer nossos direitos e dos nossos filhos, que são especiais.
      Abs

      Excluir
  14. tinha a opcao de ingressos para quem tem mobilidade reduzida e não era na area de cadeirante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi???? Te informa melhor!!!! Ana Sehn

      Excluir
  15. ... Tipico de brasileiro vagabundo ... se fazer de coitado quando se faz necessário e lhe é conveniente !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fazer comentários descabidos sobre algo que não conhece também é bem típico.

      Excluir
    2. FDP,um dia você pode precisar também!! Estúpido @$%%@#$%¨¨&&

      Excluir
  16. Oi. Super concordo contigo. Minha irmã tem esclerose multipla e passa por isso direto. Lamentavel.Ana Sehn

    ResponderExcluir
  17. Eu tenho que lhe pedir do fundo do meu coração desculpas, fui um que critiquei e compartilhei, porém, logo em seguida em conversa com um amigo, ele abriu meus olhos e vi que realmente não podemos sair julgando algo que não sabemos de fato o que é. Infelizmente estamos vivendo um momento em que as pessoas estão literalmente passando a perna nas outras, querendo se sair melhor que as outras, então acabamos nos precipitando ... bjs e tdo bom a você!

    ResponderExcluir
  18. Olha, verdadeiramente julgar sem conhecer não é uma boa. Agora, não concordo com você quando diz que é "preconceito tolo". Ora bolas, justamente por não julgar sem conhecer é que entendemos que se uma pessoa anda de cadeira de rodas, provavelmente sua mobilidade é limitadíssima e espera-se que ela não vá se levantar dali. É nosso cérebro que age desta forma. Não sabemos a história de cada um, não temos como adivinhar o grau de deficiência de alguém só pelo fato de olhar, é raro quando isso acontece. Não estou dizendo de forma alguma que devemos ter preconceito, que não devemos respeitar, que o que você passa é coisa tola ou boba, respeito seu sofrimento e até acredito que estamos defendendo a mesma coisa, apenas fiz uma observação decorrente do pensamento de quem não passa por esse sofrimento, mas que se solidariza com quem passa. Julgar não é legal. Com ou sem cadeira de rodas. Julgar alguém que está julgando menos legal ainda.

    ResponderExcluir
  19. infelizmente a maldade das pessoas hoje está muito grande... =\

    ResponderExcluir
  20. Parabéns, Bruna. Continue em sua luta de esclarecimentos aos ignorantes. Beijos Terezinha

    ResponderExcluir
  21. Adorei o texto, já havia visto muitas pessoas postarem dizendo essas barbaridades, não creio que foi da fifa os comentários.
    O povo esta acostumando num tanto de gente desonestas, mas é preciso aprender a não criticar antes de se informar.
    Facebook é bom, mas esta sendo difusor de muita coisa sem conhecimento prévio... esse texto seu vale a pena ser compartilhado. Parabéns

    ResponderExcluir
  22. Mais um post perfeito Bruna, sem mais!

    ResponderExcluir
  23. Muito coerente seu post, eu mesmo compartilhei e critiquei e foto, mas sejamos honestos: Há vários casos comprovados de pessoas que se passaram por deficientes só para conseguir um lugar melhor com preço reduzido...além disso havia ingressos para cadeirantes e outros para mobilidade reduzida. No final só há esse tipo de discussão pq não há cidadania incutida no brasileiro, que em sua maioria, só se preocupa consigo mesmo, basta dar uma olhada nos shoppings e ver quem estaciona nas vagas para deficiente e idosos. Mas é óbvio que não podemos generalizar!

    ResponderExcluir
  24. Eu sei que comprei meu ingresso preferencial para pessoas com mobilidade reduzida e vou me sentar em uma cadeira normal. Também sofro todos os dias com essa coisa de ser deficiente e não parecer, mas a Fifa fez uma separação muito clara na hora de vender os ingressos e acho pouco provável que eles tenham colocado pessoas com mobilidade reduzida em um espaço para cadeirantes. De qualquer forma, segunda-feira vou ao jogo e volto a comentar como foi e onde me colocaram para sentar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chris, são lugares diferentes de cadeirantes e de mobilidade reduzida.

      Sei pq ja fui em 2 estadios acompanhando uma mobikidade reduzida. São assentos normais mas de facil acesso. São os lugares normais que ficam próximos aos de cadeirantes. Ou seja, o acesso será facil. Alem disso, busque sua credencial pq vc tem direito a estacionamento lá dentro.

      Excluir
    2. Que bom que eles têm essa divisão. De toda forma, muitas pessoas que usam cadeira de rodas para se locomover conseguem ficar de pé em alguns momentos. Ou seja, precisaram da cadeira pra chegar lá mas quiseram se levantar em alguns momentos.

      Excluir
  25. Concordo com o que você colocou. Mas devemos atentar a uma coisa: a FIFA disponibiliza três tipos de ingressos para atender esse torcedor espacial: o W (wheelchair), para cadeirantes; o M para aqueles que têm mobilidade refuzida; e o O para obesos. Resta saber se a moça da foto comprou o ingresso W quando tem "apenas" mobilidade reduzida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas e se ela usa cadeira de rodas no dia a dia e consegue ficar de pé? Usar cadeira de rodas não é sinônimo de não mexer as pernas ou ficar de pé, certo?

      Excluir
  26. Você deveria ler mais sobre os ingressos da copa antes de pronunciar.

    Existem 2 ingressos diferentes para a copa: cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida.

    Os lugares são basicamente um fo lado do outro. Apenas que para o cadeirante tem o espaço vazio e para a mobilidade reduzida tem o assento.

    Sei disso pq estou acompanhando uma pessoa de mobilidade reduzida a alguns jogos.

    Sei também que os ingressos de mobilidade reduzida terminaram antes e por isso pessoas que não são cadeirantes foram atras desses ingressos e presenciei diversas fraudes no estádio.

    Sim, precisa de documentos para retirar o ingresso, mas eles também podem ser fraudados. Além disso, um cadeirante pode comprar o ingresso, retira-lo e revender. O que tbem e errado e a pessoa precisaria da cadeira de rodas para ocupar o espaço.

    Olha, o desrespeito eh mto grande e cheio de fraude. Se vc não eatava lá, não opine.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais um daqueles argumentos do tipo se você não viveu o nazismo não opine. Sou historiador e não vivi praticamente nada do que estudo, mas mesmo assim me dou o direito de ter uma perspectiva mais ampla, por ter o distanciamento necessário em relação àqueles que estavam no olho do furacão. Se fosse usar o mesmo agurmento poderia lhe dizer: se vc não não tem uma deficiência, não opine.

      Excluir
  27. "Eu não conheço as pessoas que estão na foto. Não fui lá falar com eles. Não sei o que os levou a estarem lá."

    Pois é, podem não ser como você...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas podem ser. O ponto dela é exatamente esse. Julgar sem conhecer é errado.

      Excluir
    2. Obrigada Mario. É bem a isso que me refiro!

      Excluir
  28. Entendo que exista dois tipos de ingresso: para mobilidade reduzida e para cadeirante. Acontece que muitas pessoas que usam cadeira de rodas para se locomover podem ficar de pé em alguns momentos.
    Eu sei que existem pessoas quem podem vir a fraudar o negócio. Mas não dá pra sair dizendo que todo mundo é assim.

    ResponderExcluir
  29. Valeu pela explicação, moça!

    ResponderExcluir
  30. Existem ingressos e áreas exclusivos para cadeirantes e ingressos e áreas exclusivos para quem tem mobilidade reduzida. São ingressos diferentes e quem tem mobilidade reduzida senta numa cadeira do estádio, não senta na própria cadeira de rodas. Se uma pessoa com mobilidade reduzida sentou na área dos cadeirantes, isso ainda é irregular.

    ResponderExcluir
  31. eu fui uma das pessoas que julgou mal. Não foi má fé, mas sim ignorância, e por isso peço desculpas.

    ResponderExcluir
  32. Ei Bruna! Um professor meu já dizia que a deficiência está no ambiente, incapaz de receber pessoas com diferentes características físicas e intelectuais. E este ambiente inclui as outras pessoas, que possuem a tendência de julgar sem conhecer. Eu estou com um problema no joelho decorrente de frouxidão ligamentar e ando quase que normalmente. Só que tenho várias limitações: não posso correr, não posso ficar em pé por muito tempo, não consigo subir e descer morros, etc. Mesmo sendo uma deficiência provisória, não sou respeitada em momento algum, pelo simples fato de conseguir ficar em pé.

    ResponderExcluir
  33. Bobagem é o que você falou, tambem sem saber...o site da FIFA vende ingresso para deficiente, obeso e cadeirante... no caso de cadeirante a venda é só para quem necessita de cadeira de rodas... as outras deficiências entram como "Deficientes"... Quem comprou de cadeirante (wheelchair), é porque tem a necessidade de cadeira de rodas... não é o caso dessa moça, me parece...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o que já me referi em comentário anterior. Algumas pessoas que usam cadeira de rodas para locomoção conseguem ficar de pé. O que não quer dizer que elas são um "milagre" nem que estão mentindo.

      Excluir
    2. Eu sei que é uma barra ter esclerose múltipla porque já acompanhei a vida de algumas pessoas próximas (não parentes), portadoras desse mal.
      Acontece que aqueles que tem a sua vida modificada por algo marcante como este (esclerose), acabam por enxergar (paradigma) tudo pela sua ótica. Então, veem uma foto com uma pessoa supostamente com problemas, em local reservado à cadeirantes, sendo execradas nas Redes Sociais e acabam tomando as dores, como se aquelas ofensas fossem para si. Isso até é plenamente normal em uma pessoa mentalmente sadia.
      Acontece que pela foto . . . uma imagem estática, sem legenda, sem nomes, sem explicações, . . . convenhamos que não dá para defender nem A e nem B. Erro dos dois lados . . . ninguém tem que postar um foto na qual "ACHA" que alguém está utilizando a "Lei de Gerson", querendo se dar bem, "dando um jeitinho brasileiro", etc, bem como, também não dá para vir em um Blog defendendo quem foi fotografado, deduzindo que era uma pessoa portadora de esclerose múltipla ou outro mal incapacitante de locomoção.
      Todos nós temos que abrir a mente. Quem cabe verificar esse tipo de coisa é quem vende os ingressos. Eles é que tem que estabelecer o controle sobre o espaço reservado à cadeirantes ou a pessoas com problemas de locomoção. Estamos vivendo uma época conturbada, de revolta, de insatisfação, de sentimento de injustiça . . . tem gente amarrando ladrão em poste, linchando suposta "bruxa", destruindo bens públicos e privados. . . E as Redes Sociais tem sido o grande caldeirão, onde esses boatos, factoides, meias verdades, são lançados . . .
      Gente!!!!! Falta responsabilidade nas postagens!!!!!! Tem gente que confunde liberdade de expressão com o falso poder de cometer injúria, difamação e ou calúnia.

      Excluir
    3. Seu comentário é um tanto confuso, sei lá. Lógico que cabe a entidade que vende os ingressos averiguar, mas dizer que não se deve rebater uma ignorância das pessoas é no mínimo um desserviço. Depois de ver um monte de pessoas compartilhando, julgando se conhecer, o milagre da Copa, o que se pode indicar é que a imagem é verossímil, não há nada de milagroso. Uma pessoa em cadeira de rodas pode se levantar.

      Excluir
  34. Sou portadora de esclerose multipla há 13 anos, tenho alterações na sensibilidade do hemicorpo esquerdo, razao pela qual tenho que utilizar carro automático segundo a pericia do DETRAN. Porém eu consigo caminhar bem, apesar de não conseguir usar salto ou sapatos soltos e JAMAIS utilizei qualquer vaga para deficiente físico, nem fila especial de banco. Na minha concepção estas vagas, são realmente para pessoas com dificuldade de mobilidade e não só por ter o direito de usá-las.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você não precisa dessas vagas! Infelizmente, não é assim pra todos com a mesma doença. Cada caso é um caso. E cada um avalia o quanto precisa fazer valer seu direito.

      Excluir
  35. Lindona faço aniversário amanhã,dia 21 de junho,eu queria muito um abraço seu mas como eu acho isso no momento meio impossível só um pensamento positivo seu junto com o seu carinho já é mais que suficiente.Bjos amiga,Zildelena.

    ResponderExcluir
  36. Não sou deficiente, mas pensei exatamente como você. O problema de tudo é que as pessoas desaprenderam a pensar, questionar, ir além. Elas se acostumaram a simplesmente, concordar com tudo que lêêm....Triste assim.

    Parabéns pelo texto. Espero realmente que essas pessoas que se deixam levar pela ignorância alheia, e tornam-se ignorantes... leiam também.

    ResponderExcluir
  37. Acho que vou ler a lei de acessibilidade antes de compartilhar isso.

    ResponderExcluir
  38. Beleza de texto Bruna!
    Tu acreditas que eu tinha compartilhado criticando, chamando de desrespeito a quem precisa da área PNE.
    Quando li teu texto me toquei que eu tenho EM pô!
    Consigo ficar em pé e caminhar pequenas distâncias, com a ajuda de uma bengala canadense. Tu sabes, me conheces. Mas quando vou a um shopping ou qualquer lugar que tenha que caminhar um pouco mais, ou encarar subidas, preciso de uma cadeira de rodas elétrica, pois não tenho força nos braços para me empurrar na cadeira e ninguém que possa fazê-lo pra mim.
    Se eu fosse a um jogo desses, precisaria de uma cadeira, que na minha opinião os estádios poderiam disponibilizar, assim como os shoppins. É claro que se o Brasil marcasse um gol, eu levantaria para comemorar, só não poderia pular ou me empolgar muito devido a falta de força e de equilíbrio. kkkkkkkkk.
    Resultado: Mudei minha publicação no face.
    Tinha esquecido que eu também tô nessa. kkkkkkkkk...
    Beijo minha querida,
    Neyra.

    ResponderExcluir
  39. Não podemos nos esquecer que tanto cadeirantes qt pessoas com mobilidade reduzida têm direito de comprar ingresso para um acompanhante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Sônia, mesmo porque muitas vezes precisamos e um acompanhante.
      Beijo,
      Neyra.

      Excluir
  40. Bruna,
    Perfeita a sua colocação, sou casada com um portador de esclerose múltipla e quando vi os comentários sobre a foto nas redes sociais fiquei indignada, porque o fato da pessoa estar de cadeira de rodas não quer dizer que ela não possa ficar de pé.
    Você foi muito perfeita.
    christiane

    ResponderExcluir
  41. Bom , agradeço a oportunidade de poder compartilhar , as histórias de pessoas perfeitamente , normais perante meus teclados ,e perante a vida , mais normais que muitas das pessoas que por instantes de infelicidade consigo mesmo , e desconhecimento de causa , por ignorância , (que não vem a ser, uma pessoa sem gentileza de alma ) , acabam de verdade por desconhecer coisas como :
    __que as pessoas podem parecerem , aos olhos , normalmente iguais a todos em geral , as vezes , não são visíveis , suas particularidades .
    __mas não significa que não as tenham .
    De fato estaremos incorrendo num dilema :
    1º- Pessoas portadoras de condições especiais ,visivelmente reconhecidas à olhos nus , não precisam documentos que as identifiquem , pois , as condições já atestam por si só .
    2º- São inúmeras as diferenças entre as condições especiais entre uma pessoa e outra , e mesmo entre as que possivelmente tenham a mesma idade , a mesma forma dessa condição de especialidade ,interagir com esta e o meio onde ela convive , e ainda existe um fator crucial , inerente a todo ser humano , cada um tem sua maneira de viver,olhar a vida,aceitar as demais pessoas .
    3º- Mesmo entre pessoas que se acham numa condição de "Normalidade Especial" ,pode haver algum descontentamento com seu estado ,e ou no se relacionar com as maneiras que a sociedade entende e aceita o assunto .
    4º- Ainda que muito se tenha avançado , em como podemos nos relacionar com as pessoas em condições de , "Normalidade Especial" , e algumas leis tenham sido redigidas por tornar um pouco melhor, sobremaneira ,o convívio ,condição no locomover ,acesso à tratamentos diferenciados , não à todos , mas houve algum avanço .E aqui nem venho tocar ,na questão política ,não é disso que tratamos aqui.
    5º A acessibilidade ,para alguns de nossos irmãos foi melhorada , mas mesmo com base no que diz a lei ,muito ainda tem que ser feito .E em auxílio a novas e maiores melhorias ,tornasse relevante ,que a cada dia e em velocidade maior ,tudo sobre este delicado assunto seja colocado à luz do conhecimento ,de mais e mais amigos .
    Portanto , o minha vontade seria de poder ser mais útil que , nesse momento me vejo envolto ,mas mesmo quando não demonstramos limitações ,alguns de nós as temos .
    A sociedade precisa ,ter o direito de tratar sobre todos os assuntos com a presteza como se ,colocam questões de interesses de governos e ou políticos. Nós povo precisamos ter pessoas que , tem a competência de criar as leis ,envolvidas nestes e em outros temas que levem a novas atitudes ,e novos pensamentos.
    Já se fazem propagandas ,em torno de se conseguir , que sejam todas as pessoas conhecidas ,não por suas aptidões físicas, intelectuais ,de raça ,credo ,cor de pele ,classe social , e ou morais ,todos devemos ,participar mais no tonar ,eu ,você ,todos ,exatamente em pé de igualdade ,sem que seja preciso comprovar nada através apenas de documentos .As pessoas tem que entender que essa não é uma luta de uma ou duas classes da sociedade , essa é uma luta de toda a sociedade e pelo bem de toda a sociedade .

    ResponderExcluir
  42. perdão se me empolguei e escrevi muito , mil desculpas , se usei algum termo , desrespeitoso ,ou não tenha sabido usar as palavras corretas .

    ResponderExcluir
  43. Muito esclarecedor seu post.
    Confesso que quando vi a foto, realmente achei que era má fé! E ainda sou médica, o que aumenta DEMAIS a vergonha que senti lendo seu post...
    Pensei em uma coisa que um amigo meu me disse outro dia: Temos que parar de criticar tão duramente nosso país e sua pessoas, muita gente ao redor do mundo tem comportamentos vergonhosos e as pessoas relevam.
    Muita força prá você, parabéns pelo blog.
    Um grande abraço,
    Bárbara.

    ResponderExcluir
  44. As pessoas que tem dificuldade de locomoção em longas distâncias usam sempre uma muleta a tiracolo, que não é vista em nenhuma imagem. Sei perfeitamente pois tenho um tio assim. Ele usa bengalas mas, para embarque e desembarque de aviões, devido às longas distâncias, solicita cadeiras de rodas. Mas a muleta está sempre lá! Se ele/a não está carregando também muletas ou bengalas, que sempre ficam próximas à pessoa, para o caso dela querer levantar, tem mais que uma simples dificuldade de locomoção. Então, não há como explicar este súbito "milagre". E não é uma caça às bruxas, é uma caça a fraudadores que fazem os outros de palhaços, assim como quem frauda carteirinhas de estudante, por exemplo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi a mesma coisa que pensei: eu não uso cadeira de rodas, mas pra ficar em pé daquele jeito preciso ficar apoiado em alguma coisa. A torcedora ali esta alegremente com as DUAS mãos no ar. Malandragem em último nivel (pq o "acompanhante" entra de graça).

      Excluir
    2. Gente, para andar grande distâncias (qualquer coisa, pra mim, um pouco mais que duas quadras) uso cadeira de rodas, mas consigo ficar de pé. Tem dias que meu equilíbrio tá ruim e não consigo ficar sem apoio, tem dia que consigo até colocar as mãos pra cima.

      Excluir
  45. Tenho Esclerose Múltipla . Em casa , para pequenas distâncias (no máximo 50m em local plano e dependendo da disposição ) utilizo um andador . Para distancias maiores dependo de uma cadeira de rodas . Eu poderia ficar em pé com apoio de alguém ou dos braços da própria cadeira . Fico triste e tenho medo destes julgamentos . Precisamos da verdade .

    ResponderExcluir
  46. Nossa Bruninha pensei a mesmíssima coisa quando li essa matéria. Quanta gente preconceituosa...às vezes até por ignorância mesmo..por desconhecer tantas doenças que apesar de dificultar um pouco a mobilidade não impedem que a pessoa fique de pé por exemplo. Lastimável. .tirei o facebook mas amanhã ..e só amanhã ativarei ele para postar sobre isso..e tentar fazer c q ao menos algumas pessoas tem consciência da baboseira q estão falando.
    Bom meu liquor saiu e por ora o diagnóstico é Síndrome clínica isolada...não sei ao certo o q isso significará para o meu futuro mas espero levar uma vida o mais próximo do normal e com muita fé e alegria. Esses dias vi um outro blog sobre uma pessoa que tbm tem EM porém os textos eram tão pessimistas...longe de mim desmerecer o sofrimento dos outros mas penso q por mais pesada seja a cruz q temos q carregar temos q tentar enxergar o lado bom...focar no problema só aumenta ba tortura.
    A propósito farei a pulso e pelo q entendi terei de usar o interferon uma vez na semana for the rest of my life.
    vida q segue! Bola pra frente..mais um obstáculo a ser superado. ..É bon estar aqui e ver q tem tantas pessoas felizes apesar dessas pedrinhas no caminho..não me sinto tão só. ..aos 13 quando recebi o diagnóstico de epilepsia foi um baque, me senti o patinho feio do grupo..perguntava pq eu? Mas hj não lembro q a tenho..tomo meus remedinhos todo dia e hj lido bem c ela. Espero q consiga lidar com a SCI o melhor possível e vou tentar ao máximo.
    Obrigada por me dar forças com a sua garra e otimismo.
    um beijinho no coração.

    ResponderExcluir
  47. Muito bom o texto. Só entendi a dificuldade de vocês deficientes quando precisei por um tempo andar com muletas e cadeira de rodas. Depois disso vi o quanto realmente é difícil a locomoção.

    Parabéns pelo texto e coragem.

    ResponderExcluir
  48. Bruna,
    Vi essa foto no face. Não cheguei a compartilhá-lá, mas pensei: "Tem sempre gente espertinha dando um jeitinho de se dar bem".
    Escrevo aqui p/ me desculpar por isso, mesmo sem vc me conhecer nem saber q eu tinha visto a foto. Mas o link do seu blog chegou até mim, li sua postagem e me arrependi do meu julgamento! Desculpe-me! Não passava pela minha cabeça outros tipos de deficiência, de fato. Agora aprendi. Obrigada!
    Bjs,
    Patrícia Taroni

    ResponderExcluir
  49. Tinha que ter se informado antes de ficar falando merda. Existem a possibilidade de três tipos de cadeira:

    - Obeso
    - Cadeirante
    - Mobilidade Reduzida

    E não é fácil saber dessas coisas, apenas se informe e leia mais antes de se sentir injustiçada pelo mundo e querer julgar quem está compartilhando a foto nas redes.
    O Brasil está precisando de uma reformar inicialmente na mentalidade das pessoas, depois na política. Enquanto existir blogs que postam asneiras e propagam mensagens idiotas nada vai mudar. é preciso saber como falar com as pessoas e não dizer que está com vergonha delas e todo esse blablabla.
    Você não é dona do mundo!
    Vergonha de você, isso sim! http://pt.fifa.com/confederationscup/organisation/ticketing/ticket-information/accessibility-tickets/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho deselegante uma pessoa falar tantas palavras baixas sem se quer se identificar. Deveria nem perder meu tempo respondendo mas falta de educação e respeito me tiram do sério. Não é novidade nenhuma que existem diferentes tipos de assentos..o que se discutiu no texto foi a existência de doenças em que a pessoa precisa sim da utilização de uma cadeira para se locomover ainda que consiga ficar de pé. Em grandes distâncias ou em degraus e rampas algumas pessoas não conseguem usar apenas uma muleta..ainda assim desejo que Deus te proteja e que você nunca precise passar por isso para entender. Não sabemos se a menina agiu de má fé ou não. .aqui ninguém a defendeu..só o q foi defendido foi o pré-julgamento.

      #analfabetismofuncionalagenteveporaqui

      Excluir
  50. Parabéns pela matéria Bruna. Minha mãe tem esclerose múltipla há 16 anos e tem uma vida social bastante reduzida pela falta de acesso aos lugares e desconhecimento da doença pela sociedade. Fiquei feliz de encontrar este blog.

    ResponderExcluir
  51. Minha mãe tinha esclerose, e usamos cadeiras de rodas alugadas ou emprestadas em.shopping, eventos, pois como explicado, longas distancias, péssimos calçamentos, pavimentações e pisos, dificultavam a locomoção da minha mãe. Assim que vi as primeiras criticas à essas imagens, lembrei logo dela, pois seria exatamente o caso. Jamais conseguiria percorrer todo o espaço caminhando, precisaria sim de uma cadeira para leva-la, depois se necessário ao banheiro, depois voltar para as local e depois ir embora. Ela se faria dependente da cadeira sim, mas graças a Deus poderia se.levantar para comemorar um Gol! Muitas vezes varias pessoas olhavam ela se levantar da cadeira na porta de um banheiro, pois não havia acessibilidade para cadeirante. Bom, fica aqui a minha experiência com essa doença. Beijos a todos.

    ResponderExcluir
  52. SOU UMA CADEIRANTE, QUE LEVANTA PARA USAR A PRIVADA. : o I
    SERÁ QUE EXISTE UMA FORÇA SURREAL, NA PRIVADA? :oI
    AMEI ISSO DE MOBILIDADE REDUZIDA.

    ResponderExcluir
  53. O problema é que têm pessoas sem deficiência alguma no lugar preferencial de deficiente. Isso é um absurdo!!! Isso tem que ser fiscalizado pela "dona" FIFA.

    ResponderExcluir
  54. E quem tem mobilidade reduzida, mas por causa da falta de amplitude do decreto não está incluso? Eu tenho siringomielia, que até ser diagnosticada era confundida com EM pois tem muitos sintomas parecidos...mas não tenho nenhuma prioridade, nem tratamento especial, nada...pois minha doença não está no decreto...consegui me aposentar pelo INSS mas por outro CID, já que tenho problemas de coluna também. E ai como fica? Conseguiria alguma carteirinha do tipo que vocês usam, comprovando (como tenho comprovado através de pericia da justiça federal, que tenho siringomielia?) Aguardo, quem souber responder me responda: grandesmulheresbazar@gmail.com

    ResponderExcluir
  55. Como são muitos comentários, responderei alguns pontos aqui:
    1. Não sou contra averiguar o que está acontecendo. Sou contra a posição irônica e ignorante da FIFA, que não leva em conta que pessoas em cadeira de rodas podem ficar de pé.
    2. Sei que existiam 3 tipos de ingresso, o que não explica a situação, porque, como já disse anteriormente, muitas pessoas que andam em cadeira de rodas conseguem ficar em pé.
    3. Não vejo nada de errado em uma pessoa que está numa cadeira de rodas querer ver o jogo em pé e/ou comemorar com os braços levantados. Eu mesma fui num show há algum tempo e pulei numa música. Achei o máximo ter conseguido fazer aquilo naquele momento. Dane-se quem me julgou por causa disso, ao invés de ficar feliz por eu ter conseguido.
    4. A carteirinha pode ser conseguida com a ABEM e a AME.
    5. Qualquer pessoa que tenha mobilidade reduzida causada por uma doença, mesmo que essa doença não esteja descrita na lei, está protegida pela lei pela sua mobilidade reduzida que pode ser comprovada em perícia médica ou laudo médico.
    6. Eu sei que existem pessoas que agem de má fé. Só não acho certo compartilharmos a ideia de que todo cadeirante tem que obrigatoriamente permanecer sentado sempre.
    7. Em 14 anos usando área PNE, nunca topei com nenhum "espertinho" desses. Mas já fui chamada de "espertinha" por gente que acha que isso é o "jeitinho brasileiro" (detesto esse termo).
    8. Também acho absurdo que pessoas comprem laudos médicos pra entrar na área preferencial.
    9. Acho mais absurdo ainda acharmos que a FIFA está certa em ironizar a condição de deficiência de cada um...
    Bom, acho que tem mais coisas a serem comentadas aí, mas deixo pra outra hora.
    Ah, estamos na Zero Hora (e não estamos sozinhos nessa luta pelo fim do pré-julgamento):
    http://zh.clicrbs.com.br/rs/esportes/copa-2014/noticia/2014/06/milagre-da-copa-especialista-explica-os-diferentes-tipos-de-mobilidade-reduzida-4531948.html

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei!!!
      Com essa a ZH subiu no meu conceito.
      Parabéns Bruna, mais um ótimo texto que bombou!
      Este, com certeza, levou muita gente a refletir e se informar melhor sobre deficiência ou necessidades especiais.
      E de quebra, sobre a EM também... legal!!!
      Beijo,
      Neyra.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  56. Olá, Bruna.
    Fabulosa sua observação!
    Faço minhas suas palavras e a luta para o respeito e a conscientização tem de ser de todos nós.
    Minha irmã tbm tem esclerose múltipla e sou testemunha da discriminação e preconceitos sofridos por quem é portador dessa doença tão estranha qto o nome que a designa.
    Muitas vezes, as pessoas pensam que o fato de ser ESCLEROSE, já vão julgando como se a pessoa fosse um "demente", ou com DEFICIÊNCIA INTELECTUAL, ou coisa que o valha... uma lástima!
    Já tive o desprazer de ver minha irmã sendo discriminada na fila de uma loja, só porque ficou na fila preferencial, rosto corado, acima do peso e uma bengala na mão. O sujeito que a ultrajou disse na maior cara dura: SÓ PORQUE TÁ COM UMA BENGALINHA, ACHA QUE PODE PASSAR NA FRENTE!
    Não o soquei, porque minha irmã não deixou, me dando uma lição de paciência que estou longe de aprender facilmente, principalmente qdo o assunto é desrespeito!
    Ela havia abandonado a cadeira de rodas por acreditar num Deus que a fez melhorar muito, pois a medicação (caríssima) não é entregue há anos, e quem é que tem condições de adquir?
    Ela foi discriminada tbm na própria junta médica que a acompanhava (antes de sua aposentadoria aos 38 anos!) pois na tentativa de uma readaptação de suas atividades (ela é professora concursada pela SEEDF), por diversas vezes foi obrigada a entrar de licença médica em razão dos "surtos". que a doença causa. Não raro o atestado tinha sua homologação negada, pois os médicos não viam nesses surtos (leiam-se DORES!) motivo para a inatividade... Oh, vida difícil!
    Qto ao seu comentário/observação, devemos cuidar das nossas vidas da melhor maneira possivel, cuidando da saúde melhor ainda, para que não tenhamos que passar por situações bem mais embaraçosas que as sofridas pelas pessoas com doenças raras, deficiência ou sindromes das mais variadas, muitas delas que nem imaginamos que existam...

    ResponderExcluir
  57. Parabéns pelo post... Meu pai passou por uma situação de gritarem "milagre" quando se levantou da cadeira de rodas para que meu irmão tirasse uma foto dele no estádio... e olha que a deficiência dele é visível (paralisia infantil com 3 anos de idade)... As pessoas agem sem pensar no amanhã... em segundos podem precisar de cadeira de rodas, muletas, bengalas, protese e consequentemente irão querer prioridade... Ninguem precisa saber se a pessoa está agindo de má fé ou não, temos apenas que respeitar e as punições Deus se encarrega...

    Bjs

    ResponderExcluir
  58. Infelizmente, vivemos num país onde a "Lei de Gerson" ainda é muito, muito comum. E eu vi na Internet anúncios vendendo ingressos "para cadeirantes" com o "aluguel" da cadeira incluído...
    Como separar o joio do trigo? Como distinguir quem precisa de quem só quer "tirar vantagem"?
    Numa situação dessas, ainda creio que um pouco de indignação contra esse tipo de aproveitadores seja saudável. A impunidade só os incentiva ainda mais.

    ResponderExcluir
  59. Blza, mas o lugar referido é para CADEIRANTES!!!! Caso não seja CADEIRANTE, deverá sentar-se em seu lugar na arquibancada.

    ResponderExcluir
  60. Parabéns pelo post, mais do que pertinente, necessário! Om

    ResponderExcluir
  61. Oi Bruna,

    Meu nome é Carla, achei seu post maravilhoso. Eu não tenho Esclerose Múltipla, mas tenho Espondilite Anquilosante, que tb me deixa com mobilidade reduzida. Eu tenho que andar como vc, com carteirinha e receita com CID, uso bengala em muitas ocasiões, e preciso de ajuda, na maioria das vezes, qdo estou em crise.
    Mas infelizmente, somos sempre vítimas de julgamento, às vezes até de pessoas próximas!
    Bjosss...

    ResponderExcluir
  62. Achei perfeito seu texto! Certamente irei compartilhar!!

    ResponderExcluir
  63. Boa noite... Meu nome é Lislaine. Há 2 anos sofri um acidente no qual tive diversas fraturas...ainda hj tenho dificuldade para andar, pois uma das fraturas foi no quadril... Em casa e em lugares conhecidos eu ando sem ajuda, mas não consigo caminhar e nem ficar muito tempo em pé. Por exemplo não consigo lavar louça ou fazer comida sem ter que sentar para descansar...sempre que saio para lugares que tenho que andar um pouco mais vou de cadeira e se for algo rápido de andador. Os médicos dizem que tenho sinais de inicio de artrose e que mais pra frente preciso operar...
    Eu ainda não tenho 100% de equilibrio entao me sinto mais segura de andador, afinal assim as pessoas me enxergam... Pois se estou a pé mesmo mancando, o povo passa esbarrando e eu me desiquilíbro... Posso ser considerada uma pessoa com mobilidade reduzida? Pois sempre quando saimos meu marido não pode colocar o carro em lugar para deficiente... Ja pediram p ele tirar o veículo por não ter credencial. Ele as vezes tem q deixar longe e eu fico parada com o andador esperando... Tenho que pedir carta ao médico pra que possa conseguir a carteirinha?
    Meu email e lis.laine.oliveira@hotmail.com

    ResponderExcluir
  64. Minha mãe não era paralítica, mas andava de cadeira de rodas sempre que saíamos de casa. Devido ao enfizema pulmonar avançado, se desse mais do que 10 passos ficava sem ar.

    Quando assistia aos jogos do Corinthians na TV, vivia pulando do sofá e ficava de pé gritando "vai, Timão!". No que eu saía correndo levando a bombinha para ela recuperar o fôlego. :-)

    Fico imaginando se ela fosse ao jogo da Copa, de cadeira de rodas, e levantasse para comemorar um gol. Seria expulsa, como "picareta" se aproveitando da vaga para deficientes?

    ResponderExcluir
  65. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  66. Ola a todos, vivo na argentina e aqui existe o certificado de discapacidade que e emitido para qualquer pessoa com problemas de mobilidade, de coracao e com transtornos psicologicos e tantos outros mais diagnosticos que podem ter os discapacitados. Me supreende que o Brasil ainda esteja tao atras do significado do que e discapcidade..O que mais tambem e muito melhor aqui e a parte de tratamentos (que existe uma lei ) que e totalmente coberto (seja de qualquer tipo) e naoe necessario vc ter um plano de saude privado...infelizmente no Brasil faz falta algumas politicas tanto ajudar aos discapacitados, como tambem de esclarecimento a populacao. Saudacoes

    ResponderExcluir
  67. Me desculpe discordar de muitos aqui mas mesmo eu sendo "deficiente" sei que infelizmente existem pessoas que usam de má fé para tirar proveito da situação e em casos mais graves conseguem benefícios como pensão vitalícia e outras coisas, e sim, me revolto com isso pois acaba sobrando para nós toda a carga de desconfiança e preconceito do restante da sociedade. Não é a toa que já presenciei situações de quem tem carteirinha em mãos escutar alguém perguntando quanto pagou de propina para ter a tal carteirinha, e especialmente comigo de pessoas querendo realmente vender a tal carteirinha por ter "amigo do amigo" dentro de depto tal do governo que consegue isso em instantes. Será que é de todo errado postar foto com a suspeita de má fé ? Eu não creio, se a pessoa na foto realmente for cadeirante ou portadora de necessidades especiais já teria se pronunciado a muito tempo e talvez já estaria atrás de quem iniciou isso para futuro processo.

    Cristiano Martinelli - portador de sindrome de freeman sheldon

    ResponderExcluir
  68. Parabéns pelo texto!!! Compartilhei!!!

    ResponderExcluir
  69. Olá! Meu nome é Luanda e tenho distrofia muscular diagnosticada há 15 anos. Uso cadeira de rodas há um pouco mais de 6. Permita-me adicionar alguns pontos à reflexão.

    A Fifa criou dois tipos de ingresso para pessoas com dificuldades de locomoção. Um chamou de "deficiência" (M) e o outro chamou de "wheelchair" (W).

    Então, foram sim contempladas pessoas com deficiência que não são cadeirantes. Pessoas que, ainda que andando com dificuldade, não fazem uso de cadeira de rodas para ir a esse tipo de evento, sentando em um assento comum, localizado em uma área de mais fácil acesso. É o tal do ingresso M, que eu teria comprado há 7 anos atrás.

    O ingresso W, por sua vez, dá direito a um lugar que não possui um assento, mas a um espaço para a pessoa colocar a sua cadeira de rodas. Logo, é um lugar para quem vai ao estádio de cadeira de rodas mesmo. Não é um lugar para uma pessoa de muletas nem com o pé quebrado. Esses podem se acomodar nos assentos localizados no primeiro nível. O cadeirante só pode ficar naquele "buraco". Não tem outra opção.

    Contudo, é verdade que nem todo cadeirante não pode levantar. Eu mesma, ainda levanto e ando um pouco. Logo, é possível sim que um cadeirante levante em algum momento do jogo. No entanto, já foi detectado na internet casos de pessoas vendendo ingresso W e oferecendo junto o aluguel da cadeira de rodas.

    Assim, embora concorde que não devemos condenar as pessoas de antemão, acho válido que se investigue os possíveis casos de abuso. No caso dessa foto, por exemplo, penso ser muito improvável que uma pessoa que pode pagar 180 reais num ingresso de jogo de futebol tenha uma cadeira de rodas tão xinfrim.

    Mas concordo com o ponto central do seu texto. Temos que respeitar e ter políticas públicas para todos os tipos de deficiência. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. P mim Luanda forneceu dados q me fazem crer q a maior culpada disso tudo n fomos nós q compartilhamos indignados c a possível falcatrua, q n deixa d ser uma corrupção q já estamos d saco cheio! Portanto, me solidarizo c as pessoas q escreveram aqui sobre suas dificuldades em razão da doença q causam suas deficiências. Porém, infelizmente, em alguns casos, como Bruna mesmo descreveu, n temos como adivinhar. Concordo c Paulo qndo escreve q essas pessoas envolvidas, caso tenham realmente o direito d estar naquele espaço destinado aos portadores d deficiência, deveriam aproveitar e esclarecer através da mídia e acabariam-se as dúvidas!

      Excluir
  70. http://atarde.uol.com.br/esportes/copa/noticias/falsos-cadeirantes-se-levantam-durante-jogos-da-copa-1600464 Olha essa reportagem.... logico que tem gente que realmente possui alguma deficiência e tal mas uma coisa é fato: Tem muito pilantra por ai e duvido muito que esse caso de "falso deficiente" não tenha ocorrido em vários momentos da copa... Essa moça da foto pode até ter algum problema, mas que tem gente com pilantragem com isso tem, certeza....

    ResponderExcluir
  71. Uau Bruna....nem sei o que dizer...
    fiquei mais tranquila ao saber que não sou a única que não consegue correr e nem andar muito......pensei que eu era a esclerosada mais zuada.....=/
    Me apresentando: Eu sou a Natália, tenho 23 anos e tenho EM desde meus 15 anos....moro em Vinhedo, SP e quando vc quiser conversar com alguém de igual pra igual, pode vir falar comigo, tá?! naty.jeronimo@hotmail.com
    beijos e se cuida, porque essa vida não é fácil! =S

    ResponderExcluir
  72. Parabéns Bruninha \o/
    Amei teu post
    Saibas que esta esclerosada aqui te adora!!!
    Bjus

    ResponderExcluir
  73. Me emocionei como q vc escreveu.
    Minha mãe tem Mal de Parkinson e demência (início do Alzheimer), ela anda com dificuldade e passo por coisas mto parecidas com as que vc relatou. Inclusive essa semana eu disse exatamente isso: que a deficiência não está apenas em quem usa cadeira de rodas.
    Parabéns pelo seu texto.
    Abraço fraterno.
    Fabíola

    ResponderExcluir
  74. Bruna parabéns pelo post! Quase todos os PNE passam por situações constrangedoras. Sou portadora de EM e devido a um surto, as lesões me causaram hemiparesia à direita que é considerada deficiência fisica. As pessoas me veem em filas prioritárias e me olham torto, como se tivesse me aproveitando da situação, chegando até a provocar. Sei que existem pessoas que agem de má fé, porém não se pode generalizar, ou seja não se pode sair julgando todo mundo. A ignorância é extrema... todos tem a ideia de que "deficiente" é o cadeirante somente, e sabemos que esse pensamento é extremamente equivocado. Já passei por situação de estar em fila preferencial e uma pessoa me ignorar como se eu não estivesse ali e passar na minha frente... Obviamente resultou em confusão. Tudo isso pq eu não uso cadeira de rodas! Eu estava comentando sobre isso esses dias,pelo simbolo da acessibilidade que é de um cadeirante, acho que é por isso que a maioria assimila cadeira de rodas (somente) a deficiência. Tenho o cartão para vagas preferenciais em estacionamentos, e uma vez paramos o carro e quando eu desci, um homem veio me pedir para sair da vaga! Deficiência muitas vezes não é visível! Novamente meus parabéns! Como sempre vc arrasa!

    ResponderExcluir
  75. O fato de utilizar cadeira de rodas não significa invalidez. Significa, apenas, problemas de locomoção, mais limitantes ou menos graves.
    É preciso verificar os fatos antes de acusar. No caso dos cadeirantes de pé em jogo da Copa, a imprensa errou, nesse caso, ao divulgar fatos sem comprovação.
    Existem milhares de modalidades de problemas de deficiência física,
    e metade das pessoas é portadora de ao menos uma deficência,
    ainda que ligeira e sanável proteticamente (como a miopia),
    com tratamento ou com adaptações especiais,
    e poucas, como a artrite, o reumatismo e o lupus (LES), apenas com tratamento paliativo.
    Aliás, a maioria das doenças crônicas importa em algum grau de incapacitação.
    A asma, por exemplo, é agravada por ambientes excessivamente secos, o que poderia ser sanado de forma fácil e barata.
    Infelizmente os portadores de deficiências não são respeitados em quase nenhum lugar,
    o que resulta em sofrimento e mais incapacidades.
    A igualdade de oportunidades deve ser exercitada, exigida e respeitada.
    Ceklso do Lago Paiva
    Curvelo MG
    https://www.facebook.com/celso.paiva.948

    ResponderExcluir
  76. Um dos casos que era farsa.
    https://www.youtube.com/watch?v=fW2tCZIXXzA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse vídeo não prova nenhuma farsa Fábio!
      Tanto eu como meu namorado conseguimos ir no banheiro, como o senhor do vídeo. Mas caminhar por todo o estádio, nem pensar!
      E, pelo vídeo, para mim que tenho um pouco de conhecimento de marcha de quem tem problemas neurológicos, fica claríssimo que esse senhor tem desequilíbrio na marcha, ou seja, ele tem algum problema neurológico, como eu.

      Excluir
  77. Cansei de ouvir gente mal informada e mal educada!
    Cansei de ser taxada de folgada, de espertinha ou de mal educada nos ônibus e filas de banco.
    Cansei de acharem que quem tá numa cadeira de rodas obrigatoriamente não consegue ficar de pé.
    Cansei de gente dizendo que o cara do vídeo ou a menina das fotos já divulgadas tinham que se identificar.
    No domingo eu saí com o Jota na Redenção. E fomos com a cadeira de rodas. Perdi a conta de quantos "milagres" fizemos, já que ali não tem rampa de acesso e cada vez que íamos subir a calçada ele ficava de pé.
    O vídeo não comprova nada. Só prova a falta de educação de quem xingou, gravou e postou cheio de razão.
    Deve ser essa "gente de bem" que lincha pessoas na rua sem ouvir o que elas tem a dizer.
    Acho absurdo as pessoas acharem que podem xingar assim os outros! (já viram o vídeo no qual as pessoas xingam um senhor que, obviamente, tem problemas de marcha e vai ao banheiro caminhando num dos jogos? O Fábio colocou logo ali em cima...um absurdo!!!)
    Eu já apanhei de velhinha no ônibus porque antes dela querer saber porque eu estava no banco preferencial ela me xingou e me deu uma bolsada. Depois eu expliquei pra ela e ela ficou com vergonha de viver.
    Gente que não pensa no quanto já é sofrido ter uma doença crônica, no quanto já é sofrido ter que provar o que tem e já chega julgando, na minha opinião, tinha que ter vergonha mesmo.
    Mas, gente ignorante dificilmente tem vergonha ou reconhece o erro né.
    Engraçado que, no post no meu blog, todos os que falam que eu estou errada assinam como anônimos.
    Nós, pessoas com deficiências "invisíveis", cansamos de ter que ficar nos explicando pra gente mal educada, desaforada e burra...porque passar adiante uma informação que não se entende é burrice!
    CANSEEEEEEIIII!!!!!!
    Como disse o Jota, essa não é a Copa dos milagres, mas da desinformação!

    ResponderExcluir

Ajude a construir esse blog, deixe aqui seu comentário, dúvida, críticas e elogios.