terça-feira, 9 de julho de 2013

Pro chão...


Oi gentes, blz?
eu tô a-ca-ba-di-nha da Rocha Silveira...
A vó fez a cirurgia (aquela que ela tava esperando desde a páscoa) hoje, e aqui em casa a coisa ficou meio bagunçada.
Fora a correria, eu fiquei um pouco apreensiva com tudo isso. Aí, já viu né, fiquei cheia de ideias na cabeça, de posts pra escrever, mas não consegui fazer nada. Nem ler direito eu consegui nos últimos dias.
Mas, deu tudo certo, a cirurgia foi um sucesso e agora é só esperar mais uns dias pra trazer nossa velhinha pra casa.
Hoje ainda não vai dar pra escrever muito porque, como eu disse, tô super cansada. Pra medir o nível do cansaço, ontem eu consegui uma façanha que fazia teeeempo que não conseguia: caí.
As pernas cansaram no final do dia, se cruzaram de uma forma estranha e, na hora de subir os dois degraus que tem na frente do elevador aqui do prédio, eu fui de joelho no chão. Além da dor nos joelhos, fiquei com aquela dor moral que dá cada vez que essas coisas acontecem.
Eu não sei se fico triste ou brava ou irritada ou cansada ou decepcionada ou tudo isso junto. Aí vem aquela vontade de ir pro colo de alguém e chorar alguns minutos, até isso passar. Normalmente eu faço isso e alugo a minha mãe. Mas ontem eu tive que ser mais forte, chorar um pouco sozinha no banheiro, incomodar quem eu podia por SMS, lavar o rosto e ir ajudar minha irmã e meu avô, que ficaram em casa tão atucanadas e nervosos quanto eu com essa cirurgia da vó.
Deu tudo certo, com a vó e comigo. Hoje a EM me abraçou o dia inteiro. E eu me rendi a ela dormindo boa parte da tarde, depois de saber que a vó tava bem e que logo logo estará em casa.
Agora tenho que recuperar os "dias perdidos", colocar o trabalho e os estudos em dia e seguir em frente.
Amanhã de manhã vou dar uma aula. Desejem-me sorte!
Vi isso no face e curti: "Eu não caí. O chão precisava de um abraço."

Até mais!
Bjs

21 comentários:

  1. É a dor moral da queda consegue ser ainda pior do que as dores das batidas. Ainda bem que existem pessoas com quem podemos compartilhar. Beijão e boa aila amanhã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada como ter alguém para compartilhar ;)
      Bjo

      Excluir
  2. Que bom que deu tudo bem, com a tua vó! Esperamos pronta recuperação para vcs. Abraço enorme pra vó e ótima aula(você já eh vencedora, o resto faz parte do teu sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada queridas! Precisamos marcar um café pra conversar mais...aquele dia foi tão rápido né?
      Bjs

      Excluir
  3. Bruna pra te dar um apoio moral , 'trupiquei' em pleno corredor do ônibus na assis brasil e fui à lona, mas tava com a filha e assim como caí já levantei, por sorte tava vazia a parada e saímos rindo que nem doidas . É isso aí amiga as vezes temos que rir da situação e bola pra frente, pois faz parte do pacote EM. Importante é que não aconteceu nada grave com vc e tua vozinha tá se recuperando. Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é que é amiga: cai junto pra eu não me sentir sozinha! hhahahahahah
      Saudade de ti Karen!
      Bjs

      Excluir
  4. Bruna, cair faz parte da correria do dia a dia.
    Eu levo cada tombo que você não acredita! E não tenho EM. rsrsrs
    Tenho um problema de ser atraída pela pessoa que passa ao meu lado em sentido contrário. É tiro e queda... literalmente! rsrsrs
    Quanto à aula, tenho absoluta certeza que você vai tirar de letra, mas, mesmo assim lhe desejo "boa sorte" e força na peruca!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marlene querida, sempre me colocando pra cima!
      Obrigada!!!!
      Bjs

      Excluir
  5. Oi Bruna... fico feliz que tua vozinha esteja bem, e você também, agora, mais calma, pode relaxar um pouco..
    Como disse a Marlene, cair faz parte, o mais importante é conseguir se levantar e seguir em frente... SEMPRE !!
    Boa aula amanhã, tenho certeza que vai ser 10 !
    beijos, Simone J.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E foi 10 mesmo! Quer dizer, não sei se os alunos curtiram, mas eu saí super satisfeita...hehehehe
      Não desistir de levantar e acreditar sempre que vai conseguir...é isso aí!
      Bjs

      Excluir
  6. Oi Bruna, que felicidade saber que tua vózinha já fez a cirúrgia e que está bem!
    Beijinho carinhoso para ela... lindinha, guerreira!
    Sei bem o stress que esse tipo de situação causa.
    E a EM adora um stress para encher o nosso saco.
    Mas graças a Deus tu e ela estão bem!

    Há uns 3 meses caí e machuquei o joelho esquerdo, que já tinha sofrido uma fratura em 1991 (antes da EM) e que até hoje me incomoda.
    Mas nesses 17 anos de EM só caí 3 vezes.
    É que me cuido muito: Caminho sempre olhando para o chão (mas de cabeça erguida, é claro) e sem pressa. Procuro não arrastar os pés e a bengala canadense ajuda bastante também. Têm funcionado!
    Fico feliz que não tenhas te machcado!

    Aí tia!!! Vai da aula de que??? kkk...
    Seja qual for o tema, vais tirar de letra. Vai ser um sucesso como tudo o que fazes!

    Beijinhos querida.

    PS.1: A Sônia deve estar exausta física e emocionalmente também. Dê um beijo e um abraço nela por mim, por favor, tá?

    Ps.2: Eu sei que tu és uma boa menina mas, por favor, sem essa de abraçar o chão, né?!! kkkk...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só 3 vezes? que continue nesse número ;)
      A aula foi ótima, sobre mídia e deficiência. Adoro!
      A mãe tá cansadona mesmo... mas logo elas voltam pra casa!
      E, pra tu ver né...minha bondade chega até ao chão... hahahahahah
      Bjaum

      Excluir
  7. Olha Bruna já caí tanto nessa minha vida de esclerosada que até perdi as contas,mas o triste é machucar o joelho e torcer o pé o que aconteceu comigo a pouco tempo atrás,fiquei de botinha e tudo por mais de trinta dias.Bem adorei essa de abraçar o chão é bem sutil e pensando assim como o chão já foi abraçado por mim,mas que dá uma vergonha danada dá se esbolachar toda no chão,mas agora nem tem mais perigo de isso acontecer na rua pois saio muito pouco e quando saio,estou sempre segurando no braço de alguém.Bjo querida,Zildelena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Zilda, pelo menos eu não machuquei nada não...
      Eu fiquei muito tempo sem sair sozinha de casa, depois só saía com a bengala...agora tava me achando muito gente grande andando sem a bengala na bolsa. Essas coisas acontecem como aviso também, pra eu deixar de ser boba e colocar a bengala na bolsa de novo...
      Bjs

      Excluir
  8. Bruna já ia me esquecendo,melhoras pra sua vozinha e sorte amanhã na sua aula,Zildelena.

    ResponderExcluir
  9. Olá Bruna, tudo bem contigo? Por favor pode me dizer o que fazer pra ajudar uma pessoa que descobriu há mais ou menos um ano que esta com EM, como proceder? Tomei conhecimento agora e não sei como falar, ajudar e agir com esta pessoa que mora fora do Brasil, atualmente tenho contato com ela através das redes sociais. Abs. e obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá...bom, tudo depende de como você quer ajudar...
      Primeiro é bom você entender um pouco sobre EM, pra não dar bola fora. E isso a gente consegue com informação de qualidade.
      Segundo, é bom tentar saber se a pessoa quer falar sobre a doença...porque tem pessoas que não gostam de ficar falando sobre, aí, falar sobre a doença só vai atrapalhar ao invés de ajudar.
      Como agir? normalmente, como você age com qualquer pessoa: respeitando-a como ser humano, entendendo seus limites, vontades, dores, ansiedades...
      Se quiser alguma informação mais específica, podes me enviar um email: bruna.rochasilveira@gmail.com
      bjs

      Excluir
  10. Olá Bruna, ainda estou em processo do diagnóstico. Fiquei 11 dias internada em fevereiro depois de ter realizado o exame de Licor, tive enchaqueca pós exame. Durante a internação fiz um ultimo exame a ressonancia ,onde apareceram umas manchas que pressupoem a esclerose, porem em consulta com a neuro Dra Maria Fernanda e tds os outros neuros que me atenderam durante a internação ainda é cedo para fechar o diagnostico , apesar de ter tido alguns sintomas como,dormencia nas mãos, visão turva, desmaio,dificuldade na marcha ( esta, uma única vez durante uns 20 dias), muita fraqueza e dor muscular, muiiiitoooo sono, fadiga. Meu primeiro sintoma faz dois anos , tive um desmaio apos acordar depois disso levou mais um ano para o segundo evento que tbm veio com um desmaio , só que um pouco pior pois eu nao conseguia voltar do desmaio , passei muito mal parecia que estava tendo um derrame, depois de uns 40 min. passou, mas passei o final de semana td deitada me sentindo mole ,fraca sem animo pra nada. Estou afastada do trabalho ate final de Agosto dia 24/07 volto pra mais uma consulta com a neuro, estou anciosa.É DIFICIL ESTA INDEFINIÇÃO. Obrigada por poder compartilhar. Sou Fabiana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Fabiana, me chamo Carla e estou com sintomas parecidos ao seus e tb não fecharam o diagnóstico. Q dificil né!? Força e bj

      Excluir
    2. Olá Fabiana e Carla, realmente a indefinição as vezes é pior do que ter o diagnóstico, porque tendo o diagnóstico, dá pra começar tratamento, etc...
      Mas o diagnóstico de EM é algo que realmente pode ser demorado, porque os sintomas se confundem muito com outras doenças. É preciso eliminar todas as outras possibilidades de doenças antes de fechar nessa.
      O ideal é procurar um centro de referência de EM perto de onde vocês moram, pra ter uma outra opinião.
      Precisando de qualquer coisa, mandem um email: bruna.rochasilveira@gmail.com

      Excluir
    3. Carla, a indefiniçao é um caminho solitário, pois as pessoas a sua volta não compreendem os sintomas e não acreditam que vc possa ter alguma coisa.Mas vou tocando a vida da melhor maneira e falo quase nada sobre o assunto.
      Fabiana , obrigada por responder e pela dica vou tentar me informar sobre este centro de referencia. bjus FABIANA

      Excluir

Ajude a construir esse blog, deixe aqui seu comentário, dúvida, críticas e elogios.