quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Seja bem vindo 2013



­­­Oi gentes, tudo bem?
Por aqui tudo bem! Vovó está em casa e estamos muito felizes por podermos comemorar juntos a entrada de um novo ano.
Tá cheio de gente por aí dizendo que “grandes coisa o ano novo... nada muda do dia 31 de dezembro pro primeiro de janeiro, só a data do calendário”. Pode ser verdade. Mas já que a nossa sociedade organizou o tempo dessa forma e decidiu que o dia 31 de dezembro encerramos um ciclo, porque não pensar nisso como uma oportunidade para sermos melhores e mais felizes do que no ano anterior?
Bom, eu fiz uma breve retrospectiva mental do meu ano e fiquei apavorada com tudo que eu fiz. Acho que nunca fiz tanta coisa interessante num período de doze meses. Em janeiro eu terminei de escrever minha dissertação de mestrado. Em fevereiro relaxei na praia e curti muito a minha família. Em março conquistei meu título de mestre, com louvor. Em abril me debrucei nos livros de Educação pra encarar a seleção de doutorado, que foi em maio e me rendeu alguns fios de cabelos brancos. Em maio também foi aquele encontro maravilhoso na Redenção, com outros esclerosados e esclerosadas do Rio Grande do Sul (amei conhecer vocês gente). Em junho eu fui aprovada no doutorado e tive que fazer uma pulsoterapia, ou vocês acham que a EM não tava atenta ao meu estresse e minhas noites mal dormidas? Ficou ali, esperando e deu o bote. Em julho, sobrevivi à Gripe A, escolhi um apartamento novo pra morar e participei do meu primeiro congresso em educação. Em agosto comecei o doutorado. Em setembro fui à Brasília no Encontro de EM (adorei conhecer o pessoal, conhecer a cidade, conversar com amigos que só conhecia virtualmente, em especial a Fabi e o Júlio). Aliás, obrigada pessoal da Novartis pelo convite, pela oportunidade e por serem tão legais (qualquer hora apareço aí em SP viu Raquel). Finalzinho de setembro ainda fui pro Rio de Janeiro na companhia da minha querida amiga Lúcia, apresentar um trabalho num congresso que me rendeu uma publicação internacional (to ficando fina), conheci o Cristo e quase perdemos o avião. O Rio é lindo, pena que eu tive pouco tempo pra passear. Outubro também foi o mês de arrancar os cabelos pra dar um jeito de conseguir ir no congresso de Cuba. E em novembro, fui pra terra de Fidel (experiêcia única). Finalmente dezembro, enfeites de natal e quando o mês parecia não trazer nenhuma emoção mais forte do que a que eu sinto escrevendo cartões de natal (ou recebendo presentes surpresas lindos), minha vó no hospital. Ufa! É coisa hein gente...
Fora os pequenos fatos, os detalhes que fazem toda diferença mas que não dá pra contar por falta de espaço, tempo, mão pra digitar e pelo decoro... hehehehe
Mas sabe, eu só fiz tudo isso porque tinha minha equipe de apoio por trás: Sônia, Renata, Raquel, Vilma, Manoel, Solange, Caco e Vini. Sem minha família, nada disso seria possível.
Também por conta de ter amigos queridos demais. Os de perto e os de longe. Não vou citar nomes, porque certamente esquecerei de alguém (cabeça de esclerosada sabe...hehehehehe). Mas vocês sabem quem são e o quão importantes são na minha vida.
Esse ano me deu amigos fantásticos sabe? Valeu 2012!
A cada final de ano, além de tentar lembrar os fatos importantes, as pessoas que ganhei e as que permanecem na minha vida, lembro também que esse ano foi o ano que muita gente recebeu o diagnóstico de EM. Que por conta disso, a maioria dessas pessoas deve estar pensando agora que esse foi um ano terrível, cruel e para ser esquecido. E para esses amigos eu digo que, talvez não seja fácil de pensar diferente sobre isso agora. Mas tentem pensar em 2012 como um ano de grandes mudanças. E lembrem que as mudanças não são necessariamente ruins. Que as mudanças, mesmo as chocantes ou que trazem algum sofrimento, podem trazer coisas boas se tentarmos olhar pra elas de outra forma. A mudança é inevitável. Façamos dela uma coisa boa em nossas vidas.
Que venha 2013, cheio de emoções, encontros, trabalho e surpresas pra gente!
Até mais!
Bjs

P.S.1: como a vó só voltou ontem pra casa, hoje vou abrir minha champagne de ano novo.
P.S.2: volto pra Porto Alegre e para o mundo conectado depois do dia 15. Me aguardem!

8 comentários:

  1. E vai ser um ótimo 2013 para todos nós , recebi o diagnóstico de EM a pouco tempo e te digo, isso me despertou. Nós nos economizamos para a vida e não devemos fazer isso. Como a forma e perspectiva de vida mudaram. Mas te digo isto realmente me engrandeceu espiritualmente. Agora faço cada momento valer a pena, desliguei o piloto automatico e vi como antes da EM fazia tempestade em copo d'agua. Levei um tapa na cara da vida e vi como nos achamos bons e na verdade não vivemos de forma completa e harmoniosa. Passei a dar mais atenção nos detalhes pequenos da vida e o quanto eles são grandes. Abraços de um esclerosado de Petrópolis. Luis Guilherme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se economizar pra vida não tá com nada! Com certeza, a vida está nos detalhes. Um 2013 iluminado pra ti! Seja bem vindo ao clube Luis!
      Bjs

      Excluir
  2. Nossa Bruna fiquei cansada só de saber td que vc fez em 2012, sou nova no seu blog e tb recebi diagnostico em 2012, realmente a gente nem sabe o que pensa ou faz, mas com certeza é uma notícia que dá uma abalada,concordo com td que vc disse e com certeza 2013 será mt melhor, nossa vida está nas mãos de Deus e o nosso desespero não vai acrescentar nada. Feliz 2013 para vc e todos do blog. Tatiane/ Belo Horizonte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu não me apavorei com tudo isso guria?
      Falaste bem, desespero não leva a nada... só a sofrimento desnecessário. Que Deus te abeçoe! Seja bem vinda ao clube também Tati!
      Bjs

      Excluir
  3. Parabéns por teu animo, tua luta e grata por ser sempre uma inspiração pra nos. Recomendo teu blog para esclerosados e nao-esclerosados!
    Ler os teus textos eh um presente.
    Feliz 2013, linda Flor.
    Com carinho imenso,
    Dri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Adri!!!!
      Continue comigo em 2013!
      Bjs

      Excluir
  4. Feliz Ano Novo Bruna....que sua agenda continue cheia de coisas boas em 2013... também recebi o diagnostico em 2012 e coloquei como uma dos momentos tristes do ano....mas, temos que continuar, da melhor forma possível...transformando e buscando sempre a felicidade....com saude e amor...bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, é um momento triste mesmo, não podemos negar. Mas também não podemos fazer dele o mais importante.
      Que 2013 seja um ano de alegria Mônica!
      Bjs

      Excluir

Ajude a construir esse blog, deixe aqui seu comentário, dúvida, críticas e elogios.