quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Muitas mulheres...

Oi queridos, tudo bem?
Estava eu aqui, preocupada com a nova novela do Avonex (sim, vou ficar imaginando como vai ser até o dia em que o dito cujo do remédio chegar), quando peguei o jornal e descobri que o IBGE e seu Censo só servem pra tirar as esperanças das pessoas...hehehehe
Brincadeirinha! Mas ter 50% a mais de mulheres do que de homens no meu estado, é algo broxante. Pensem bem, em Porto Alegre existem 755.917 mulheres para minguados 654.022 guris. Descontando os gays, menores de idade e os problemáticos, sobram poucos. Já havia chegado a essa conclusão há alguns dias, quando saiu o resultado da pesquisa. Hoje, lendo a coluna da Claudia Tajes na Zero, só confirmei.
Dizer que tem mais mulher que homem em Porto Alegre fica óbvio quando saímos nas ruas. Reproduzindo um parágrafo da coluna: "Com todo respeito aos pesquisadores do Censo, isso a gente já sabia. Basta ir a qualquer bar, cinema ou missa que a superioridade numérica feminina se mostrará em todo o seu encanto. Às vezes, amigos que vêm de outros lugares pedem para voltar a Porto Alegre depois de falecidos. A cidade seria ainda melhor que o paraíso, com 20 mesas lotadas de loiras, ruivas, morenas e negras na mesma pizzaria".
Não, isso não é um texto de uma mulher desesperada. Mas, conversando com amigas, todas bonitas, inteligentes, bem resolvidas, nos perguntamos onde estão os homens prontos para serem companheiros nessa cidade? Bom, pelo visto, a quantidade em número já é pequena, descontando os gays, os que não tem as qualidades específicas que cada uma busca e mais alguns itens, sobram poucos mesmo gurias.
Tudo bem que homem não é tudo na vida, mas é uma ótima parte. Acho que os meninos pensam a mesma coisa sobre as mulheres.
Indo a um ponto que nos interessa, o que me deixa feliz, é que, diferentemente de uns 10 anos atrás, percebo que os namorados e namoradas aceitam melhor as deficiências de seus amados. Lembro que há pelo menos 5 anos atrás as pessoas tinham medo de contar que tinham EM aos seus companheiros. Hoje em dia, a maioria já sabe da EM antes mesmo de começar o relacionamento, o que eu acho justo. A gente precisa ter ao nosso lado alguém que no mínimo entenda o que temos e pelo que passamos.
Bom, o IBGE nos deu um banho de água fria, mas tudo bem, tá tão quente que água fria não faz mal. Aliás, água fria é até bom nessas situações...hehehe
No texto da Cláudia, ela sugere às meninas: "para quem é do tipo que corre atrás dos seus objetivos, a rodoviária é logo ali", se referindo às cidades que tem mais homens que mulheres.
Eu sugiro o contrário: meninos, Porto Alegre é demais e super hospitaleira! Hehehehe
Até mais!
Bjs

P.S.: esse é mais um Censo sem sabermos quantas pessoas com deficiência temos no país. Uma vergonha!

2 comentários:

  1. BERNARDINO GONÇALVES6 de dezembro de 2010 13:15

    Sou pai e cuidador responsável, p/Leonardo da Cunha Gonçalves, portador de EM desde 05-2002 (aos 22 anos)hoje c/29 anos. Diagnosticado em 07/02 pela PUC. Quando o neuro Dr. Márcio Mena Barreto, forneceu-me os laudos para emcaminhar o pedido p/o Estado,da medicação AVONEX, o que fiz imediatamente na Secr.Saúde, aprovado em 12-12-02, início da entrega em 01-03 na Farmácia dos Medicamentos Especiais em POA. Após o primeiro recebimento, deveria receber na 7ª. região em Bagé, aí começou minha briga, por tres meses me entregarm em POA. mas dizendo que haviam mandado p/Bagé. No 3º. mês avisaram-me que não me entregariam mais em POA., pois estava vindo para Bagé. Que eu acionasse p/Justiça se necessário pois deveriam estar vendendo as ampolas. Comecei antão a briga através de promotores amigos. Mas sempre com atrazos nos recebimentos e nas aplicações. Em 12-2006 me vi forçado ingressar na justiça, mas A Juiza disse que a ação deveria ser contra o poder mais fácil, ou seja contra a Prefeitura, o que levou a intimação do Secretário Municipal de saúde, que depois de falar dom a Juiza, procurou-me dizendo que não tinha noção de onde vinha a medicação. Fiz os primeiros contatos com a Shering do Brasil, consegui todos os telefenes necessários para Ele entrer em contato para compra da medicação e forneci-lhe, ai a Prefeitura passou a adiquirir mensalmente, depois o DR. Marcio trocou p/Betaferon, e aprefeitura segui fornecendo. Em maio de 2008 o Neuro disse que havia sido autorizado o uso no Brasil do Tysabri - Medicação então utilizada no Exterior com melhor aproveitamento, ficamos no aguardo da compra a p/Ministério, que até agora não houve, então agora em Julho quando da consulta periódica, o DR.Marcio mandou solicitar através da Defensoria Pública, o que também o fiz, imediatamente, hoje já estou com três ampolas em meu poder e com aplicação marcada para o dia l4-l2-10, as 14,00 aí na PUC. Em Tempo: (O Leonardo, por causa das falhas na remessa da medicação, em 12-2006, deixou de caminhar e hoje não consegue mexer com as pernas, de mim dependendo para toda sua movimentação). Quando o DR. Márcio em 05-2008, nos falou do Tysabri ele nos disse, que não dizia que ele fosse voltar a caminhar, mas que ele conseguiria, isso sim, mexer com as pernas e até parar de pé com ajuda de uma mesa ou mesmo de andador. Hoje não sei o que conseguirá melhorar, uma vez, que já vai quase três anos de espera. Meu Email é (assi@brturbo.com.br)- Um abraço Bernardino Assi Cardona GOnçalves, Rua Borges de Medeiros,961 - DOM PEDRITO - RS.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela dedicação ao seu filho! Lhe enviei um email. Bjs

    ResponderExcluir

Ajude a construir esse blog, deixe aqui seu comentário, dúvida, críticas e elogios.