quarta-feira, 15 de março de 2017

Maternidade leve


Olá pessoal, tudo bem com vocês?
Por aqui tudo ótimo!!!!!
Sinto falta de escrever mais no blog... mas acabo usando o tempo de vovó-babá para escrever o conteúdo da AME (isso...eu não esqueci do povo esclerosado, meu trabalho na AME é esse mesmo...escrever, escrever, escrever e responder a todos).
Bem, mas hoje resolvi testar escrever no celular. Francisco está aqui, fazendo seu cochilo no meu colo enquanto leio e respondo emails e tento escrever aqui hoje.
As pessoas têm me perguntado como tem sido a maternidade com EM. E eu só posso responder que tem sido algo ma-ra-vi-lho-so! De verdade! Sem exageros!
Não que não seja cansativo às vezes, ou que nada na minha vida tenha mudado. Pelo contrário...tudo mudou...e mudou para melhor!
Sobre a EM, ela tem me dado trégua. Voltei ao avonex mês passado (acompanharam nossos vídeos sobre amamentação?) e foi mais tranquilo do que eu imaginei. Não estou com nenhum sintoma...nem dor, nem fadiga...nada! Isso me permite me dedicar 100% ao Francisco. Quer dizer, quase 100, afinal, tem o trabalho, tem eu mesma, tem o Jota. Mas acho que tenho equilibrado bem os pratos.
Às vezes sinto como se devesse algo pra alguém sempre. Olho minha carreira acadêmica e penso que vai demorar pra ela engrenar mesmo. Olho pro meu trabalho na AME e acho que podia fazer mais. Olho pro Jota e vejo que só dar banho e ficar algumas horas por dia com ele pode ser pouco. Olho pra minha mãe e acho que a sobrecarrego pedindo ajuda pra eu poder comer e tomar banho enquanto ela fica com o bebê. Mas, mesmo achando que "devo" pra esse monte de gente, me sinto em paz e harmonia porque não devo nada ao meu filho, nem a mim.
Eu queria muito ser mãe. Mas nunca idealizei esse momento. Só sabia que queria ser e seria o que desse pra ser. Eu sabia que minha vida jamais seria a mesma e abracei essa mudança com todo amor que se pode sentir.
 Talvez por isso eu não me incomode em acordar as 6h da manhã, em esfregar fralda de cocô, em fazer mamadeira e dar de mamar a cada 4h (no início era a cada 2h), em brincar e manter conversas que só nós entendemos (sim, ele conversa bastante), em andar com seus mais de 7kg no colo pra lá e pra cá ninando ele.
Não me incomodo em deitar as 22h, junto com ele, nem em dormir uma noite toda com ele no colo quando o berço parece ter espinhos.
Me agarro nele e curto cada um desses momentos. Porque descobri, já no parto, que ser mãe é sentir saudade. Sinto uma saudade imensa daquele barrigão.
Ele tem só 3 meses...mas já cresceu tanto! Quando vejo um recém nascido já penso que ele foi daquele tamanhico...e bate uma saudadinha de quando ele cabia num braço só.
Mas também amo e vibro a cada novidade. Cada sorriso, gargalhada, som novo. Cada vez que ele tenta pegar um brinquedo com a mão. Cada beicinho que ele faz quando eu demoro pra pegar no colo. Cada festa que é todo banho, com água que salta pelo quarto todo. Cada roupinha que não serve mais porque tem uma dobrinha a mais nas pernocas gordinhas do meu pequeno.
Claro que dá trabalho. Claro que é diferente de tudo que eu já vivi. Mas eu não trocaria por nada nesse mundo. Não queria minha vida anterior por nem um dia. E se eu tivesse condições financeiras, queria ter mais uns cinco. Mas acho que só vamos poder ter mais um. Ou dois.
Ah sim, e sempre que eu digo isso, ouço aquelas "ameaças"de outras mães que dizem: tu diz isso agora...qd crescer vc vai mudar o discurso...isso passa...blablabla...
Bem, cresci ouvindo esse tipo de ameaça e elas não me assustam mais. Honestamente, quero dizer pras pessoas que falam isso o seguinte: para que tá feio!
Quando eu tava na quinta série, me falavam que era eu só ia bem porque essa era fácil, quando eu chegasse no ensino médio eu ia ver. Não vi nada. Depois era a faculdade, depois o mercado de trabalho, depois o mestrado, depois o doutorado, depois o namoro à distância, depois o morar juntos, depois o casamento... enfim, até agora tô "esperando pra ver".
Acho que, na verdade, as pessoas pegam suas frustrações e transformam em ameaça pro futuro das outras achando que estão dando um conselho.
A última "ameaça" que ouvi foi: agora tu tá achando tudo lindo...mas espera ter um surto ou o Jota piorar pra você ver.
Deu vontade de dizer: queridinha, meu marido mal consegue se mexer e tem piorado progressivamente, na minha RM apareceu uma lesão nova durante a gravidez, eu tenho essa p*** de EM há 17 anos...tu acha mesmo que tua maldição me assusta?
Porque, sinceramente, parece uma espécie de maldição. Ou de recalque...vai saber.
Talvez, chegando lá na frente, os outros até tenham razão e eu mude de posição. Mas até lá, vou levando tudo numa boa, com a certeza de que eu não preciso ter razão, mas me sentir bem.
Então, vou continuar aqui, com meus sonhos, meus planos, e minha maternidade leve. Talvez irritantemente leve para alguns. Mas para mim, deliciosamente leve e amorosa. Fazendo o que posso, como posso, enquanto posso. Francisco tem gostado assim. Eu também. E isso é que importa.
Até mais!
Bjs

11 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Adorei teu texto, e sabe que embora o diagnóstico da EM pra mim tenga vindo depois de ter tido meus filhos, eu já vivia com a EM sem saber e pra mim a maternidade também foi leve. Bruninha, tenha qtos filhos tu e o Jota quiserem. Filho é vida, é alergia, é amor. Um beijo pros três.

    ResponderExcluir
  3. Que texto lindo Bruna!
    Tu és uma mãe maravilhosa! A lindeza e o sorriso do Francisco que o digam.
    O família linda, que eu amo! Beijinhos Bruna, Jota e Francisquinho 💙💜💚💛❤️

    ResponderExcluir
  4. Que lindo texto! Que seja leve e longo, pois passa tão rápido, que te desejo que seja longo o suficiente para você amar! Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  5. Lindo texto Bruna. Convivi com minha mãe esclerosada ppr 26 anos cuidando dela diariamente, daria tudo para te-la de volta e cuida-la por para 26, levemente e feliz como ela era. Parabéns pelo texto e pela forma como tu levas tua vida. Um beijão. #SejaFeliz

    ResponderExcluir
  6. Nem te conheço pessoalmente guria, mas acompanhado o teu blog desde 2010 quando comecei a descobrir o universo da EM. E eu fico imensamente feliz de ver tuas conquistas. Quase chorei lendo teus últimos textos. É lindo ver tudo isso. Só desejo que Deus te abençoe mais ainda. Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Lindo amiga, me emocionei com o texto. Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Tu é demais, Bruna. Passo aqui às vezes e me emociono com esta tua escrita linda. Parabéns pela maternidade, por esta sua maneira de viver tão leve e tão inteligente e corajosa. Só admiração por você, viu?

    Ps: eu sou uma anônima que acompanha seu blog de longe, bem de longe. Te escrevi um email há alguns anos e inclusive você respondeu de maneira super educada e carinhosa.

    Enfim, te desejo só coisa maravilhosa na sua vida e reitero toda a minha admiração por você.

    Beijos,

    Mirella Botaro

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Olá Bruna, meu nome é Fernanda e descobri minha esclerose em Outubro do ano passado. De lá pra cá tudo é muito novo pra mim.
    Me casei tem 1 ano e me pergunto como será quando eu quiser ter o meu bebê? Coisa que não vai demorar muito... Ontem enquanto eu pesquisava a respeito me deparei com o seu blog e fiquei tão feliz em ver como você encarou a gestação e como está a sua vida nova com o Francisco.
    Os seus textos já estão me ajudando bastante e por isso obrigada pela oportunidade que nos dá de conviver com a sua vida!

    A sua história só veio me alegrar mais e me mostrar que tudo é possível. Nós temos alguns "detalhes" nas nossas vidas que devem ser acompanhados de mais pertinho pelos nossos médicos, mas nada nos impeça de viver tudo que nos é de direito e vontade!

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Linda sua história. E lindao se Francisco. AMo ler blogs. Acho leituras leves e divertidas. Acompanhar sua história é muito legal...dá um up na vida da gente. Pois já percebi que és uma guerreira, e quem não precisa de pessoa assim para dar um empurrão na vida??? Parabéns guria...ahhh sou gaúcha tbem...moro em capão da canoa, vc deve conhecer nossa praia aqui...dizem que todos os Gauchos um dia já passou por aqui...rsrsrs...um Bjo no seu coração. E continue escrevendo nos inspirando. Beijinho fofo no Francisco. Ficamos deus. FAtinha

    ResponderExcluir

Ajude a construir esse blog, deixe aqui seu comentário, dúvida, críticas e elogios.