domingo, 5 de fevereiro de 2012

Quando se levantar fica difícil

Oi queridos, tudo bem?
Tava com saudade de escrever aqui... mas sabe como são as coisas: prazos vão terminando, dissertação pra entregar e quando eu enjoava de ler a dissertação, não queria ver meu computador nem pintado de ouro.
Mas tudo bem, agora só falta imprimir e embarcar pra praiaaaaaa!!!!
Bueno, mas não é sobre isso que eu quero falar hoje. Nem do meu ar condicionado (que já tá famoso e todo mundo quer roubar...hahaha).
Quero falar sobre levantar. Sobre o quão difícil pode ser ter que se levantar.
Ah, aí os mais poéticos devem pensar: é, realmente, a vida às vezes nos dá umas rasteiras difíceis de levantar.
Eu eu, com a minha grosseria digo que não, não é nesse sentido figurado da palavra. É no sentido literal.
Eu acho muito difícil me levantar de qualquer lugar. O esforço que é necessário pra segurar o peso e se levantar sozinha é uma negócio dos infernos, não acham?
Ok, quem não tem nem nunca teve algum problema motor, acha que eu to viajando na maionese. Mas é verdade.
Como todos sabem, só vou em lugar que tenha um lugar pra me sentar. Mas isso não basta. Ao chegar nos lugares, me sinto quase um CSI, procurando as possibilidades de onde sentar, se fica perto do banheiro, se tem escadaria e, antes de sentar, eu estudo como vou fazer pra levantar. Tudo isso num intervalo de segundos.
Mas nem sempre foi assim. Antes de eu pegar a prática CSI ao chegar nos lugares, me ferrei bastante. Tipo, sentar num pufe (é assim que se escreve?), sem nenhuma mesinha pra me apoiar, nenhum corrimão pra me segurar e, o pior, nenhum amigo fortinho pra ajudar. Porque assim, quanto mais baixo for o lugar que você sentar, maior o esforço físico pra levantar.
Sempre sento perto de mesa ou base de apoio, onde eu possa ajudar as pernas, apoiando os braços.
Mas os amigos e familiares mais próximos já sabem: sou uma diva, e é de bom tom oferecer ajuda para uma diva levantar-se. É uma questão de educação e cavalheirismo... hehehehehe
Às vezes eu erro o cálculo de onde sentar, não sei como fazer, mas não perco a pose, faço de conta que tô ali sentada pra bonito, pra enfeitar o ambiente... até chegar ou passar alguém a quem eu possa pedir ajuda...heheeh
Então, fica a dica pros amigos esclerosados: nunca sente-se num lugar onde não tenha apoio para se levantar.
E para todos, com a ajuda de amigos, sempre é mais fácil de se erguer, tanto no sentido literal, como no sentido figurado.
Até mais!
Bjs

P.S. 1: nessa semana, foi registrada sensação térmica de 46 graus em Porto Alegre... enquanto isso, na minha sala, não passa dos 25... hehehehe. Ar condicionado, seu lindo!

P.S.2:sim, também acho levantar cedo da cama muito difícil, mas isso são outros quinhentos... hehehe

10 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Pior né, ônibus é um parto pra mim também. Dá uma olhada em duas das muitas histórias minhas com esse meio de transporte:
    http://esclerosemultiplaeeu.blogspot.com/2009/03/respeito-e-bom-e-todo-mundo-gosta.html
    http://esclerosemultiplaeeu.blogspot.com/2010/07/no-busao_31.html

    Hoje em dia, tô nem aí. Entro no bus e, se vejo um jovem sentado no banquinho reservado pra mim (me achei agora né?), pergunto: você tem alguma deficiência? Porque velho e grávida você não é né? Então, por favor, me ceda o banco porque eu tenho esclerose múltipla e fica impossível ficar de pé, meu querido.

    Tem funcionado bem. ;-) Bjs

    ResponderExcluir
  3. Levantar é uma arte! No nosso caso, bem trabalhosa. Eu também só me sento aonde possa me levantar, sozinha de preferência porque apesar de esclerosada, ando muito por aí desacompanhada. O pior lugar é o banheiro público, principalmente se não for o especial com barras de apoio.

    Bjs Bruna, Ótima semana pra vc!

    PS: vê se não fica se exibindo muito com esse ar condicionado, porque vou ficar com raiva de você!

    ResponderExcluir
  4. Oi Bruna, tudo bem? Eu já ando contando os dias pra terminar o mês de fevereiro, na esperança que em março a temperatura fique um pouco mais amena! Preciso fazer uma pergunta: esse ano você já recebeu seu remédio? Será que o resto do pessoal também? É que para nós aqui não chegou nada ainda neste ano e só sei que tá chovendo ações na Justiça, infelizmente até agora sem solução. Desculpa a pergunta, mas é só pra saber se foi geral a falta de medicação. Obrigada, Bjs, Janine.

    ResponderExcluir
  5. Bah, levantar no banheiro é uma arte né Tuka? hehehe
    Janine, o meu medicamento tá vindo direitinho todo mês. Se não vier, entro na justiça no mesmo dia.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por responder. Eu entrei na Justiça 4 anos atrás e obtive procedência da ação. Ocorre que agora, por descumprimento de ordem judicial, executei a sentença pedindo bloqueio de contas do Estado. Infelizmente, nem todos os juízes tem sensibilidade e bom senso ao decidir questões delicadas em se tratando de saúde e no meu caso a Juíza que despacho indeferiu o bloqueio, intimando primeiramente o Estado. Eu sou advogada e sigo lutando por esses direitos, inclusive o meu, mas infelizmente, quando se trata de brigar contra os entes públicos, a justiça nem sempre impera. Mas eu não vou desistir, claro. Bjs.

      Excluir
  6. Oi Bruninha!!!
    Me identifiquei totalmente com teu post.
    Nos banheiros, sem barra de apoio, sou obrigada a recorrer a minha bengala canadense, que depois entra na água com sabonete junto com minhas mãos... kkkkk...
    Só entro num ônibus se vejo, de fora, que tem lugar, porque subir é uma luta ardua e não consigo ficar em pé nem 3 segundos, pois meu equilíbrio é quase zero.
    Minha mãe é pequena e tem idade, não pode me ajudar no quesito força física e meu irmão trabalha, fica pouco em casa, logo tenho que me virar sózinha, como o ap. é pequeno (40 m²) para levantar me apoio na mesa que é bamba, depois na cadeira e vou caminhando me apopiando nas paredes. Na rua, entra em cena minha canadense.
    Estou caminhando muito mal o que me dá um baita medo de cair, mas fazer o que, ficar parada em casa não dá, né?!! Então vamo que vamo... Em casa sou o "João Bobo", na rua o "Robocop Gay"... kkkkkkkk...
    Eu não consigo levantar cedo da cama, quando sou obrigada fico extremamente cansada, malzona mesmo e preciso dormir à tarde, pelo menos umas 3 horas.
    Ai, ai... nada como ser diva!!!
    Beijos querida,
    Neyra.

    ResponderExcluir
  7. As vezes acho que o mundo tinha que ter corrimão, não acha Neyra?
    Mas ja q não tem, a gente se vira né...
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi Bruna, tenho sofrido muito com essas situações, tenho neuropatia é estou muito fraco das pernas então já nem sei mais,você escreve muito bem! Abraço

    ResponderExcluir

Ajude a construir esse blog, deixe aqui seu comentário, dúvida, críticas e elogios.